Pesquisar neste blog

ANTES DE SAIR DESTE BLOG CLIC NUMA DE NOSSAS PUBLICIDADES

ACONTECENDO VOCÊ FICA SABENDO, AQUI:

domingo, 31 de janeiro de 2010

ENCERRA NESTE DOMINGO O VIVA VERÃO

A Paraná Esporte encerra esta semana o projeto Viva o Verão no Litoral paranaense, com muitas atividades esportivas, recreativas e artísticas, das 8 às 12hs e das 16 às 20h, todos os dias, até domingo (31). No final de semana estão programados eventos especiais, com destaque para a final do Circuito Paranaense de Handebol de Areia, em Caiobá. Vão participar 12 equipes, cinco do sexo feminino (Marialva, Antonina, Cascavel, Santa Helena e Dom Bosco) e sete do masculino (UTFPR, Antonina, Marialva, Paranaguá, São José dos Pinhais e Santa Helena A e B).

Em Guaratuba será desenvolvido o maior número de ações na programação de eventos especiais, começando na sexta-feira (29) com um passeio ciclístico, às 8h30, com saída da tenda da Paraná Esporte. Sábado, às 8h, será realizada a competição de pesca embarcada; às 9h30, será feita uma caminhada pela orla; e na parte da tarde terá início um festival de futevôlei, com encerramento no domingo, quando acontecerá a corrida rústica da Polícia Militar, às 8h30.

Em Matinhos, sábado e domingo será disputada a terceira etapa do Circuito Paranaense de Bodyboarding Viva o Verão 2010. Em Shangrilá, sábado, às 9h, haverá uma caminhada pela orla, e às 20h, a brincadeira caça ao tesouro. E em Ipanema, às 15h de sábado será feita uma gincana. Com exceção da pesca embarcada e circuito de bodyboarding, as inscrições podem ser feitas até momentos antes do início, nos locais das provas.

As atividades diárias aos veranistas são alongamentos, caminhadas, exercícios de relaxamento, danças aeróbica, recreações, aulas de iniciação aos esportes nas ondas tições e areia, competições esportivas, e avaliação física nas quatro praias mais movimentadas: Guaratuba, Caiobá, Ipanema e Shangrilá. Com a avaliação física, sem custo, o veranista tem conhecimento de sua condição de saúde e recebe informações para deixar a vida sedentária ou melhorar a forma física. Os outros postos no Litoral são em Praia de Leste, Morretes, Antonina, Guaraqueçaba e Ilha dos Valadares em Paranaguá.

Ainda na programação de eventos serão realizados cinco shows com música, circo, teatro, dança e poesia, quinta-feira, sábado e domingo, em Shangrilá, e sexta-feira e sábado, em Ipanema. Em Shangrilá os shows vão animar a tradicional Festa do Caranguejo, em tendas montadas à beira-mar, ao lado do posto da Paraná Esporte.

Shows
Shangrilá
Festa do Caranguejo
Quinta-feira
15 horas – Linha do Tempo Livre
18 horas – Circo Encantos
20 horas – Estação 33 (MPB)
Sexta-feira, 29
15 horas – Linha do Tempo Livre
18 horas – Circo Encantos
20 horas – Combinado Silva Só (samba de raiz)
21 horas – Fulana de Tal (samba)
22 horas – Samba Esporte Fino (samba)

Sábado
15 horas – Linha do Tempo Livre
18 horas – Circo Encantos
20 horas – Samba Saudade (samba/pagode)
21 horas – Jacarandá Brasileira (choro)
22 horas – Ciro Moraes (samba)

Domingo
15 horas – Linha do Tempo Livre
16 horas – Circo Encantos
18 horas – Divina Luz (samba de raiz)
19 horas – Batista de Pilar (performances artísticas)

Ipanema - Praça Central
Sexta-feira
20 horas – Hora Brasil (samba rock)
21 horas – Circo Encantos
22 horas – Vibração (sertanejo universitário)

Sábado
20 horas – Cia. Dança Eliane Fetzer (jazz)
20h30 – Circo Encantos
21h30 – Mimar Você (percussão)
22h30 – Rádio Radar (pop rock)


AEN

sábado, 30 de janeiro de 2010

NEM UMA DRAGA CONSEGUEM COMPRAR SEM CONFUSÃO ?

Uma decisão liminar da Justiça Federal em Paranaguá suspendeu a compra da draga pela Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa). Deferida pela juíza federal substituta Sandra Regina Soares, na última segunda-feira, a liminar atende pedido da empresa Interfabric, autora da melhor proposta, mas desclassificada da licitação por não estar concluída na ocasião das vistorias.

Na decisão, a juíza suspende a desclassificação da empresa e todos os atos consequentes, como a contratação da segunda colocada no pregão. Com a desclassificação da Interfabric, do empresário grego Georges Pantazis, foi declarada vencedora, em julgamento realizado no último dia 15 e homologado no dia 20, a Global Connection, que venderia a draga por R$ 45,6 milhões à Appa.

Única adversária da Interfabric na concorrência, a Global ficou na segunda colocação na proposta de preço e na capacitação técnica, mas foi beneficiada pela desclassificação.

No mandado de segurança, a Interfabric alega direcionamento da licitação, argumentando que a Comissão de Licitação descumpriu critérios do edital, como vistoriar primeiro a draga melhor classificada, e não deu resposta a ofícios da empresa que comunicavam a disposição da draga para a devida vistoria. Ao tomar conhecimento da desclassificação, a empresa interpôs recurso, considerado intempestivo pela comissão.
Na liminar, a juíza aceita os argumentos de que o recurso, impetrado cinco dias úteis após o conhecimento da desclassificação não foi intempestivo e confirma que houve comunicação à licitante sobre a disponibilidade da draga para testes.

A juíza ainda revela preocupação com as críticas “relevantes e que não podem ser desconsideradas” à empresa Global Connection, que, segundo a Interfabric, participou da concorrência sem a apresentação de documentos essenciais previstos no Edital como certidões (FGTS e negativa de falência) e o número da Organização Marítima Internacional. A capacidade da empresa vencedora, “que não ostenta nenhuma operação comercial em seu balanço”, também é contestada na ação.

“Não vislumbro prejuízo às partes envolvidas em deferir o pedido de suspensão da decisão que desclassificou a impetrante do certame e consequentemente todos os atos dela decorrentes, principalmente a contratação da empresa Global Connection, até ulterior deliberação”, diz o despacho.

A Appa informou que não irá se manifestar sobre a decisão. A única manifestação oficial ocorreu via twitter, do governador Roberto Requião (PMDB) que, na terça-feira, criticou a Justiça pelas recentes decisões: “Juízes param obra da Sanepar e compra da draga em Paranaguá. Ruim para o Paraná”. (P.O)
Perguntar não ofende: E Porto de Antonina, quando será dragado, qual foi a últina dragagem ? Assim não dá, assim não pode... 

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

OS BOLAS MUCHAS DA PREFEITURA

Todas as 4ª feiras um grupo de amigos composto por servidores da Prefeitura de Antonina,  participam a partir das 20:00hs, de uma "pelada" de futebol no Campo do Arlindo, no Km 4,  para aliviar o stresse do dia-a-dia do serviço público. Os jogos são marcados por muitas risadas diante a tantos fiascos cometidos em campo de gramado artificial.  Na última quarta o jogo deu,  Azuis 11 X 3 Amarelos. Além disso, a razão de tanta alegria, é que tambem comemorou-se o 48º aniversario de Sergio C. Gonçalves, o "Bolão", e como ele pagou uma parte da conta foi debaixo de muita chuva, com direito a ventos contra-mar, pois nem os céus acreditaram. Confira agora alguns registros fotográficos durante a tradicional confraternização das boas peladas, onde o Churrasquinho e o Q-suco não podem faltar : 

Veja a alegria do aniversariate "bolão" abaixo, recebendo o abraço do amigo Arizinho, ladeado pelos demais...

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

RICHA X ALVARO - BRIGA DE TITÃS QUE VENÇA O PARANÁ


O prefeito de Curitiba, Beto Richa e o senador Alvaro Dias – que disputam a indicação de candidato do PSDB ao governo do Estado para as eleições de outubro – voltaram a trocar farpas ontem. Richa defendeu a decisão tomada pela Executiva Estadual na última segunda-feira, de que a escolha seja feita pelos 45 membros do Diretório Estadual, no próximo dia 8 de fevereiro, e criticou o adversário na disputa interna por não respeitar a decisão do partido. Já Alvaro reafirmou que não aceita a escolha pelo Diretório – controlado por Richa – e insistiu que levará a disputa para a convenção estadual, em junho.
Em entrevista a emissoras de rádio, ambos elevaram o tom dos ataques mútuos, que se agravaram após a reunião da Executiva, aumentando o risco de um racha no PSDB paranaense. Richa acusou o senador de colocar seu projeto pessoal acima dos interesses do partido. “Eu não me rebelo, eu não discuto as decisões do meu partido. Não vou colocar à frente meus projetos pessoais. O que o PSDB decidir entendendo o que é melhor só me resta acatar”, disse.
O prefeito também rebateu as acusações de Alvaro segundo o qual a votação no Diretório Estadual seria um jogo de cartas marcadas, já que a maioria dos integrantes do órgão teria sido indicada por Richa e seus aliados. “O PSDB não tem dono, nem eu nem o senador Alvaro Dias somos donos do partido”, garantiu.
Ele criticou ainda as declarações de Alvaro negando que a reunião da Executiva tivesse decidido que a definição seria feita no dia 8 de fevereiro, pelo Diretório Estadual. “Todos ali ouviram a proposta que foi feita, consta em ata. Tem dez deputados membros da Executiva que estavam presentes e testemunharam”, lembrou.
O prefeito destacou ainda que a Executiva é formada, basicamente pelos deputados federais e estaduais, que sabem o que é melhor para o partido. “São deputados federais e estaduais que circulam todas as regiões do estado, que conversam com lideranças políticas, prefeitos vereadores deputados, e sabem a tendencia de outros partidos de estar integrando esse ou aquele projeto”, afirmou, dando a entender que Alvaro não tem sequer apoio dentro do partido. “Não posso querer ser candidato se não tiver a simpatia o entusiasmo o apoio dentro da minha casa, o PSDB, que dirá buscar apoio fora de casa, de outras siglas partidárias para fortalecer esse mesmo projeto”, disse. “Não podemos a todo momento estar mudando de estratégia conforme a conveniência deste ou daquele candidato”, reclamou.
Alvaro tem insistido que prevalece acordo anterior, fechado junto à Executiva Nacional, de que a escolha seria feita com base em pesquisas. Richa admitiu que as pesquisas são um dos fatores que devem ser levados em conta, mas lembrou que outras questões devem pesar na escolha. “Tem que analisar a rejeição, espectativa de vitória, aquele que agrega mais apoios. Tem que ser levado em conta aquele que m tem maior número de apoios de deputados, prefeitos, vereadores”, apontou, aproveitando para alfinetar o adversário. “Muita coisa pode mudar. Sabemos candidatos que saíram com 60% e não ganharam a eleição”, afirmou, referindo-se à eleição para o governo de 2002, quando Alvaro liderava as pesquisas mas foi vencido por Roberto Requião (PMDB).
O prefeito demonstrou especial irritação com a pesquisa Ipespe, divulgada no último final de semana, na qual o senador tucano liderava em praticamente todos os cenários. “Você deve ter visto as pesquisas mandrake que surgiram, fabricadas. É uma vergonha, chega a ser crime. O partido vai avaliar as pesquisas de institutos conceituados”, explicou. “Eu até estava falando o mínimo possível, mas não posso concordar com algumas coisas que estou ouvindo na imprensa. Algumas manipulações, movimentações, pesquisas que foram denunciadas esta semana”, disse.
Richa também descartou interferência da direção nacional, como tem apontado Alvaro, em busca de um consenso para garantir uma situação mais favorável ao presidenciável tucano José Serra no Estado. “O partido não pode ser manipulado orientado por esse ou aquele candidato. Muito menos no tapetão, querer levar a decisão para Brasília. Aqueles que pretendem que haja uma intervenção, uma decisão no tapetão, desrespeitando o desejo do PSDB do Paraná, garanto que isso não vai acontecer”, afirmou.
Água — Alvaro, por sua vez, reafirmou que não será uma eventual decisão favorável Richa na reunião do diretório estadual de 8 de fevereiro que o fará desistir da disputa. “Tem muita água que passará por debaixo dessa ponte”, garantiu, relembrando o acordo feito via direção nacional para que o candidato fosse escolhido com base em pesquisas. “Não somos uma ilha, fazemos parte de um projeto de Nação liderado pelo governador José Serra que é prioridade do partido. Todo esforço deve se fazer aqui tem objetivo de fortalecer esse projeto”, disse, afirmando que tudo dependerá da mediação do presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra (PE), que deve vir ao Estado nas próximas semanas.
O senador negou que esteja defendendo intervenção da direção nacional. “Mas acredito na orientação. Seria exigir demais que eu me submetesse um confronto do diretório estadual do partido. Não há essa hipótese”, afirmou.
Alvaro voltou a garantir, também, não haver chance de disputa entre ele e o irmão, Osmar Dias (PDT). “Sei que há os que duvidam, não somos todos iguais na política. Eu e o Osmar temos palavra. E quando nós assumimos compromissos, nós honramos”, alegou. Um dos principais argumentos do tucano é de que se ele for o candidato do PSDB ao governo, Osmar deixa a disputa. Com isso, o PT de Dilma Roussef ficaria sem palanque no Paraná. “Eu disse e repito que eu e o Osmar estamos juntos em não nos enfrentaremos. Se a opção do PSDB for pela minha escolha, nós estaremos juntos”, explicou.B.Pr.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

VEM AÍ O CARNAVAL MAIS POPULAR DO PARANÁ





O Carnaval mais popular do Paraná, em Antonina, divulgou ontem a sua programação para este ano (ver quadro), quando a cidade espera receber, mais uma vez, de 35 mil a 40 mil pessoas por dia de festa, que é a capacidade máxima para recepcionar os foliões.
Serão cinco escolas que vão passar pela “Avenida do Samba” com seus criativos sambas-enredos, carros alegóricos e as tradicionais alas: Escola de Samba do Batel, Batuqueiros do Samba, Leões de Ouro, Capela e Portinho.

Para aumentar a segurança durante o Carnaval, a prefeitura de Antonina anunciou que vai ampliar o efetivo policial e que mais 30 homens da segurança privada estarão a postos.
Este ano, o Carnaval de Antonina se estende para a Ponta da Pita e para o Mercado Municipal, onde haverá o “Terreirão do Samba”, aberto a quem quiser participar tocando qualquer modalidade musical, como samba, choro ou pagode, bastando se inscrever no local.





Tradição

Visto como uma das mais tradicionais festas momescas do País, o Carnaval de Antonina caracterizou-se pelas brincadeiras de rua, do final do século 19 até os anos 20s.
As pessoas pintavam-se e vestiam-se de cores alegres e saiam às ruas jogando água perfumada uns nos outros. Banhos com baldes de água do mar, tiradas das canoas previamente inundadas, era uma diversão indispensável.
As brincadeiras com água foram substituídas por confetes e serpentinas no início do século 20 e os trajes foram ficando cada vez mais coloridos, com as camisas listradas e os chitões.
Logo depois começaram os bailes em sociedades como o Clube Antoninense, Não tem tempo, Brinca quem pode, Matarazzo, Primavera e Operários, que deram origem aos cordões carnavalescos compostos por pessoas com as mesmas fantasias que tocavam instrumentos como violão, cavaquinho, reco-reco e pandeiro, animando os blocos dos Malandros, Brinca pra não chorar, Marinheiros da água doce, Chapéu de palha, Marinheiros do amor e outros.
Na proxima vez vou postar aqui toda a Programação do nosso Carnaval, Aguarde...

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

BALA DE BANANA PARA TODO O BRASIL




Um método de produção artesanal e familiar que se tornou sinônimo de sucesso: a fábrica de balas de banana de Antonina é uma das mais tradicionais do litoral do Estado, que neste ano completa 30 anos de fundação e chega a produzir até 10 mil quilos do produto por mês.

Mais de 80% da produção da bala é comercializada em Curitiba e região, ficando apenas 5% no próprio litoral. Por isso, o maior número de turistas durante a temporada, nos primeiros meses do ano, não chega a interferir nas vendas, que aumentam no início do inverno.

"No verão as pessoas querem é sorvete", observa o proprietário da fábrica, José Carlos Correa(Zequinha).O produto chega também a locais como Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Minas Gerais e Amazônia.
SEGREDO REVELADO..
"Santa Catarina tinha fábricas de banana e, como aqui no litoral tem muito dessa fruta, aproveitamos a ideia. A fórmula pronta que veio para a gente não deu certo. Então trabalhávamos meio dia no negócio do palmito e o outro meio dia na produção da bala", lembra o dono. Rotina bem diferente da atual, em que o método e as fases pelas quais a produção da bala passam ocupam praticamente 24 horas da família Correa.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

FISCALIZAÇÃO INTEGRADA FECHA QUATRO BARES EM ANTONINA



A equipe da Ação Integrada de Fiscalização Urbana (Aifu) vistoriou 25 bares e lanchonetes de Morretes e Antonina, no Litoral, na noite de sábado (23). Um estabelecimento foi fechado em Morretes e quatro em Antonina. O principal problema encontrado foi a falta de higiene na cozinha. A equipe realizou 54 autuações administrativas.

Fiscais da prefeitura de Antonina aplicaram multa de pouco mais de R$ 2,6 mil para um comerciante que mantinha seu estabelecimento aberto sem alvará. Além disso, o mesmo estabelecimento foi interditado pela Vigilância Sanitária Estadual para se adequar às normas de higiene. Também participaram da ação as Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros, Instituto Ambiental do Paraná, Vigilância Sanitária e Conselho Tutelar.

Desde 1.º de dezembro, a Aifu catalogou 600 estabelecimentos comerciais Matinhos, Pontal do Paraná e Guaratuba. Até 19 de dezembro foram feitas orientações sobre quais os alvarás e certificados que os comerciantes deveriam ter. Depois, a equipe começou a voltar nesses estabelecimentos para autuar, multar e, caso fosse necessário, interditar aqueles que não se adequaram às orientações.

CIGARRO – De acordo com o coordenador-estadual da Aifu, coronel Honório Olavo Bortolini, os consumidores e comerciantes de maneira geral respeitam a nova lei antifumo. “A maioria dos estabelecimentos já possui cartazes informando a proibição de fumar em locais fechados ou cobertos. Quando flagramos alguma situação irregular, nós fazemos a orientação.”

domingo, 24 de janeiro de 2010

A IMPORTANCIA DOS TELECENTROS E BIBLIOTÉCAS




O programa Telecentros Paranavegar continua sendo atração no litoral paranaense. No período de férias, turistas e moradores das praias de Guaraqueçaba, Morretes e Pontal do Paraná (Ipanema e Shangri-Lá), Antonina (Siri do Portinho) e Ilha do Mel (Nova Brasília e Encantadas) compartilham os computadores colocados à disposição da população pelo Governo do Estado desde 2003.

O telecentro do balneário de Ipanema, inaugurado em 2007 junto com a Biblioteca Cidadã, recebe em média 32 pessoas por dia. O acesso à internet é limitado a 30 minutos por dia, e enquanto esperam, os visitantes podem usufruir os 4,5 mil livros e revistas da biblioteca. O público que frequenta o telecentro varia: desde crianças até a terceira idade – muitos deles acessam o computador pela primeira vez.

Nos dias normais, fora de temporada, os visitantes precisam preencher um cadastro, mas na temporada é só chegar e agendar o horário. “As crianças são mais impacientes, então enquanto esperam a vez, eu ofereço um livro. Se eles não estão com vontade de ler, eu incentivo a desenhar jogos para depois jogarem com os amigos até que os computadores sejam liberados. Eles interagem, é um trabalho muito legal”, conta a monitora do telecentro de Ipanema, Iná Stival.

AJUDA - O monitor Marcelo Ribeiro aponta como principal vantagem do telecentro em relação a uma “lan house”, a ajuda que os monitores capacitados pela Celepar dão os usuários para acessarem a internet, principalmente para que não têm essa ferramente em casa ou no trabalho. “Também acompanhamos a navegação, principalmente das crianças e dos adolescentes, impedindo que eles entrem em páginas impróprias”.

Andrea Fernandes frequenta o telecentro de Ipanema há dois anos, pois costuma passar muito tempo na praia e precisa ver freqüentemente os e-mails. Ela faz questão de agendar para a família toda, que utiliza tanto o ponto de acesso à internet como a biblioteca. “Faço tudo o que preciso pela internet aqui. Venho sempre e sou muito bem atendida”, diz.

“Bruna, 14 anos, gosta mais dos livros e Felipe, 10, só que saber de usar a internet”, conta a mãe Cristina de Oliveira Socher, turista de Curitiba. Eles conheceram o projeto Telecentro Paranavegar por meio de outro projeto do Governo do Paraná, o da Biblioteca na Areia no verão de 2009 e são frequentadores deste então, principalmente nos dias de chuva.

A instalação dos telecentros é coordenada pela Secretaria de Assuntos Estratégicos em parceria com a Celepar. Além do mobiliário necessário, os prédios são equipados com computadores, aparelhos de televisão, vídeo e DVD. No espaço construído pelo Governo do Paraná há ainda um mini-auditório com 30 lugares, que é utilizado pela comunidade para a realização de reuniões, oficinas e capacitações.



Veja aonde encontrar os telecentros no litoral   


Associação dos Moradores do Portinho, Graciosa de Cima e Graciosa de Baixo - Siri do Portinho
Endereço: Rua Escoteiro Milton Oribe, 395 - Portinho de Baixo - Associação dos moradores do Portinho - Antonina-Pr
" Perguntar não ofende: Quando vai entrar em atividade o Telecentro instalado aos fundos da Prefeitura de Antonina e ser  disponibizados os seus serviços para a comunidade ?"

Guaraqueçaba – Telecentro de Guaraqueçaba
Endereço: Rua Major Domingos Nascimento (ao lado da Prefeitura)
Guaraqueçaba – PR
Parceiro: Prefeitura Municipal

Morretes – Telecentro de Morretes
Endereço: Rua Antonio Gonçalves do Nascimento, 14 - Junto ao Rotary Club
Morretes - PR
Parceiro: Rotary Club de Morretes

Balneário de Ipanema - Telecentro Biblioteca Cidadã
Endereço: Rua Alba de Souza e Silva S/N - Balneário de Ipanema – próximo da praça central.
Pontal do Paraná - PR
Parceiro: Prefeitura Municipal

Balneário de Shangri-Lá – Telecentro de Sangri-Lá
Endereço: Av. Ipanema, s/n - Colônia dos Pescadores Z5 - Próximo a Secretaria de Educação - Pontal do Paraná - PR
Parceiros: Prefeitura Municipal

Ilha do Mel - Encantadas - Ponto de Acesso
Praia de Encantadas - Ilha do Mel – PR

Ilha do Mel – Nova Brasília - Ponto de Acesso
Praia de Nova Brasília - Ilha do Mel – PR





sábado, 23 de janeiro de 2010

ANIME-SE NESTE FINAL DE SEMANA VENHA PARA ANTONINA

Gifs - Flash - Fotos e Videos Para seu Orkut       
Gifs - Flash - Fotos e Videos Para seu Orkut


AGUA DE QUALIDADE NO LITORAL


Desde a temporada de 2003, Guaratuba, Matinhos, Pontal do Paraná, Morretes e Guaraqueçaba contam com sistema de produção, armazenamento e distribuição de água tratada capaz de atender, simultaneamente, milhares de pessoas que vão às praias principalmente na passagem do Ano Novo e no Carnaval. “Há seis anos não há falta de água no litoral paranaense, independente do clima e dos picos de consumo”, disse o presidente da Sanepar, Stênio Jacob.

No período de novembro de 2003 a novembro de 2009, a produção de água tratada cresceu, em média, 5% ao ano. “A infraestrutura que construímos no litoral está preparada para atender a demanda das próximas décadas”, afirma Jacob. A capacidade de produção de água tratada, nos cinco municípios, teve aumento de 92% e a capacidade de reservação foi ampliada em 93%.

Esgoto - Para coletar e tratar o esgoto doméstico, a Sanepar fez investimentos pesados. “Construímos estações de tratamento e estendemos a rede coletora a todos os municípios. A situação das praias do Paraná é privilegiada quando comparada aos índices de poluição presentes nas demais praias brasileiras”, afirmou.

Para atingir os níveis de atendimento – água para 100% da população urbana da região litorânea e 20.395 imóveis dotados de rede coletora de esgoto – a Sanepar investiu cerca de R$ 265 milhões.

Nos últimos anos, graças a esses investimentos, a balneabilidade das praias melhorou sensivelmente. E se apresenta pontos impróprios para banho é porque 4.100 donos de imóveis ainda não fizeram a ligação adequada até a rede da Sanepar. Estes proprietários, nas próximas semanas, poderão sofrer as punições previstas em lei, pois lançar esgoto na rua, nos rios ou em canais é crime ambiental.

A Sanepar também esclarece que a instalação de equipamentos para drenagem urbana e a manutenção de canais e das galerias preparadas para receber apenas a água da chuva não são de competência da Sanepar. Este serviço é de responsabilidade das prefeituras.
.........................................................................
Diante ao histórico acima,Paranagua e Antonina, são as unicas cidades do litotal com serviços próprios de água. Ao analisar os ultimos acontecimentos das temporadas de verão, principalmente no periodo de Carnaval, vemos que a nossa cidade vem padecendo com a constante falta do liquido precioso, sentimos que há problemas visiveis e invesiveis no sistema e que poderão ser solucionados, mas quando com a falta de recursos? Não seria esta a hora de se buscar novas parceirias,até mesmo com a estatal Sanepar e outros?                              
E o sistema de tratamento de Esgoto do Bairro do Tucunduva, sairá do papel sem a participação de quem realmente entende?  São tantas perguntas que só o futuro responderá. As vezes as soluções estão sob o nosso nariz e não conseguimos vê-las.  Pense nisso e dê a sua opinião.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

CUIDADO COM A DIARRÉIA DE VERÃO


O grande número de casos de diarréia registrados nesse verão em todo o Brasil é fruto de descuidos com a higiene pessoal, e da falta dela no preparo dos alimentos. Uma das doenças mais comuns em crianças em todo o mundo, a diarréia geralmente é vista pelos pais como um “problema menor”, facilmente curável, resultado de descuidos alimentares. No entanto, para os especialistas é bem mais do que isso e pode até matar. Os rotavírus são os agentes que causam a diarréia, mas ela também pode ser provocada por outros fatores e somente exames laboratoriais podem diagnosticar cada caso corretamente.
Nas últimas semanas tornaram-se comuns os casos registrados em cidades do litoral. Aqui no Litoral  o maior número de casos foi verificado nas cidades balneárias de Matinhos, Guaratuba e Pontal do Paraná.
Gianfrank Tambosetti, diretor geral de atenção básica da secretaria municipal de Saúde de Paranaguá, explica que nem mesmo os poucos casos registrados na Ilha do Mel chegam a preocupar, mas os profissionais de saúde estão atentos, já que o local recebe o maior número de turistas da cidade. A lotação máxima é de cinco mil pessoas. “Ainda não detectamos em Paranaguá casos em grande quantidade, mas houve um aumento expressivo em outros municípios como Guaratuba, Matinhos e Pontal do Paraná. O que há, na maioria das vezes, são casos intoxicação alimentar devido ao descuido com a comida”, detalha o diretor.
E aqui em Antonina, parece-me que baixamos a guarda de vez, pois quase todos deixamos de limpar as mãos com o famoso e caro alcoól Gel, tão divulgado no meio do ano passado, bons costumes, lembra-se da temida Gripe do Porco?
Descubri, que temos mais de 20 piscinas em nossa cidade, sem a devida manutenção quase todas transformadas em possíveis  viveiros do mosquito da dengue, que ainda circula no Litoral. Este é apenas um alerta. Cultivemos os bons habitos de higiene.  Cuidado com a Diarréia de Verãoooooooooooooo.  

AGENDA CULTURAL



Uma boa opção de férias para quem está no Litoral do estado é assistir a montagem Final do Mês, com texto e direção de Alexandre França, que será apresentada nesta sexta-feira (22), às 21 horas, no Teatro Municipal de Antonina. A peça faz parte do projeto Teatro para o Povo, do Centro Cultural Teatro Guaíra, e tem entrada franca.


“Final do Mês” coloca no palco as atrizes curitibanas Claudete Pereira Jorge e sua filha, Helena Portela, que interpretam o texto de Alexandre França. A peça mostra cenas domésticas entre dois personagens, mãe e filha que vivem as suas diferenças e conflitos. A mãe é uma psicóloga de classe média, que criou a filha de acordo com as diretrizes de sua profissão, com bastante liberdade de escolha. A jovem, diante da vida, sente-se perdida e sem rumo. A relação entre mãe e filha é caótica e piora quando aparece a crise financeira, que gera brigas e discussões constantes.

Claudete Pereira Jorge é dona de uma sólida carreira no teatro curitibano. Ela fala da sua interpretação na peça e da interpretação dos papéis de mãe e filha, que também são vividos na vida real, mas com grandes diferenças. “Somos mãe e filha completamente diferentes das da peça. A gente está experimentando uma nova forma de relação que não me agrada absolutamente, mas é muito interessante”, afirma.

O Teatro Municipal está na Rua Dr. Carlos Gomes da Costa, 322, no centro de Antonina, e é um dos patrimônios históricos do Paraná, construído em 1875.

Final do Mês
Texto e direção: Alexandre França.

Elenco: Claudete Pereira Jorge e Helena Portela.
Dia 22 de janeiro de 2010, às 21h
Teatro Municipal de Antonina.
Entrada franca.
Iluminação: Carol Guberte.
Música: Carlito Birolli e Cauê Menandro.


quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

CONHEÇA O SIRI DO PORTINHO




O restaurante Siri do Portinho, em nossa Antonina, é mais uma atração durante a temporada de verão no Litoral do Paraná. Comandado por oito mulheres e um homem, todos catadores de siri da região do Portinho, Graciosa de Cima e Graciosa de Baixo, o restaurante é um ponto de encontro para aqueles que querem saborear boa comida, conversar e se divertir em um local charmoso e aconchegante.
No cardápio estão bolinhos de camarão e de siri, camarão frito e à milanesa, casquinha, pastel e risoto de siri, além de peixes e outras carnes. Tudo feito com temperos que eles mesmos preparam. Além disso, os cozinheiros do Siri do Portinho fazem doces e sucos variados. “Tudo isso para vermos as pessoas saírem satisfeitas daqui”, comenta a presidente da Associação, Jaci Dias Pereira, 59, ao lembrar que no último domingo mais de 60 pessoas passaram pelo Siri do Portinho.
O restaurante está aberto nos finais de semana e feriados, a partir das 11h30. De segunda a sexta-feira, funciona em algumas noites. Para informações e encomendas, os telefones são 41 3432-4851 ou 3432-3014.
A Duzia do Carangueijo pronto sai por apenas R$15,00 - essa Eu irei conferir de perto,comadre Jaci, pode reservar a minha mesa. FUI...


quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

OBRAS ACABADAS O POVO AGRADECE.

(novo mercado de peixes)

No final do ano passado foram concluídas pelo Governo do Estado, no município de Antonina, no Litoral, a construção do mercado do peixe e as obras de pavimentação de cinco quilômetros de vias urbanas. A informação é do secretário do Desenvolvimento Urbano, Forte Netto. Segundo ele, foram investidos R$ 3,1 milhões em recursos do Fundo de Desenvolvimento Urbano (FDU), administrado pela Sedu/Paranacidade. As obras integram o Programa Paraná Urbano.
Com aproximadamente 45 metros quadrados, o mercado do peixe fica nas proximidades do píer e ao lado do mercado municipal. E conta com três boxes para a venda de frutos do mar, entre pescados e mariscos, pelos pescadores locais. “Esta é uma reivindicação antiga dos pescadores que estavam trabalhando em um local inadequado, aberto, com uma estrutura mínima, com pouca qualidade de atendimento e até de higiene”, revelou o assistente administrativo da Colônia dos Pescadores de Antonina, Hélio de Freitas Castro.
Atualmente o comércio ainda é realizado no antigo espaço, chamado de Gaivotas, e também em duas barracas cedidas pelo Ministério da Aquicultura e Pesca. Segundo Castro, a colônia mantém negociação com a prefeitura municipal para que o mercado seja cedido à associação que passaria a administrá-lo.De acordo com a prefeitura municipal, não há data prevista para o funcionamento do novo local.

(Barigui)
Pavimentação - Forte Netto disse que a pavimentação (asfalto novo e recape) foi realizada em 26 trechos de ruas do centro e de oito bairros de Antonina, – Barigui, Tucunduva, Itapema, Itapetininga, Jaime Lerner, Jardim Maria Luiza, Itapema de Baixo e Saivá –, totalizando cinco quilômetros de vias urbanas contempladas. Além de colocação do pavimento, foram construídas galerias e calçadas e implantado meio-fio.
...................................................................................................................................................................
É ... mais ainda está faltando o Loteamento Capelista e a Praia dos Polacos, mas mesmo assim, o Povo agradece.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

OS PREJUÍZOS COM AS OBRAS INACABADAS


A má gestão das obras públicas, tradicional em todo o País, é resultado do planejamento malfeito, da falta de transparência na condução dos projetos, do uso de critérios equivocados de contratação e da incapacidade de equilibrar e fiscalizar as contas públicas.
Atendendo à Lei nº 8.666/93 (Lei das Licitações), as autoridades utilizam a modalidade do menor preço para contratar os fornecedores de obras e serviços de engenharia. Vence quem oferecer o menor preço. Mas o argumento do baixo custo da obra é depois utilizado pelos governantes para justificar a má qualidade da construção, os seguidos aditamentos de contrato e os atrasos na entrega.
Em Antonina, tem 5 obras/heranças inacabadas que passam de um governo para outro sem nenhuma ou pouca cobrança, entre elas eu destaco:O Trapiche Municipal; O misterioso Quiósque da Feira Mar(fotos); o Centro de Eventos Educacionais(possível elefante branco), em frente a A.A.29 de Maio, e o Sistema de Tratamento de Esgoto no bairro do Tucunduva ?, com mais de 6 km de tubulações e conexões espalhados por baixo da terra nas principais ruas da cidade, e de lambuja, uma Super Caixa Acéptica de concreto com centenas de metros de tubulações e conexões, que iria receber todo o esgoto da localidade, hoje totalmente entupidos e esquecidos tambem embaixo da terra no bairro do Barigui(nunca fora usada). Na época todo mundo ganhou, as empreiteiras,os operários, os engenheiros responsáveis,etc., MENOS a população que pagou pelos serviços através de seus impostos.

São grandes os prejuízos causados por obras inacabadas, atrasadas ou prometidas, mas sempre adiadas ou esquecidas. Além do aumento do custo da construção, grandes canteiros de obras muitas vezes são instalados, aumentando significativamente os congestionamentos na cidade. Esses prejuízos seriam evitados se nós e o poder público fizessemos uma lista de obras prioritárias e não iniciasse novas obras enquanto as que estão em andamento não sejam concluídas.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

RESERVA AMBIENTAL É REJEITADA POR ANTONINA E GUARAQUEÇABA



O projeto de criação do Parque Nacional da Guaricana caminha lado a lado no ICMBIO (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) com a criação de outra Unidade de Conservação: a Reserva Biológica de Bom Jesus.
A idéia e criar a UC em volta da Fazenda Bom Jesus, que assim como a Guaricana, pertencia ao Bamerindus. A propriedade da União fica em Antonina e tem aproximadamente 10 mil hectares. O projeto da UC é de 33 mil hectares e abrange também áreas do município de Guaraqueçaba e uma pequena extensão de terra de Paranaguá.
Diferentemente de Guaratuba, a audiência pública marcada para o dia 10 de dezembro em Antonina aconteceu. Não sem problemas.
De acordo com Eliana Maria Corbucci, analista ambiental da Coordenação de Criação de Ucs do ICMBio, “as reações negativas de Antonina e Guaraqueçaba dizem respeito à categoria reserva biológica e não à criação da UC”.
A reserva biológica é uma espécie de parque sem visitação turística, só científica ou educacional.
“Lá a reunião transcorreu dentro da ética e do respeito à coletividade, exceto algumas vozes isoladas que tentaram tumultuar a reunião seguindo o exemplo de Guaratuba, mas que não obtiveram sucesso”, diz Eliana.
Ainda segundo ela, ficou acertado com as comunidades rurais e com as prefeituras dos dois municípios que haverá novas reuniões para discutir o projeto, possivelmente em fevereiro.
Outra versão
O clima na reunião foi bem diferente na opinião da prefeitura de Antonina. Texto encaminhado pela Assessoria de Imprensa e publicado no blog oficioso Antonina Viva (antoninaviva.blogspot.com) diz que “a criação da Reserva Biológica Bom Jesus foi “totalmente rejeitada pelas duas comunidades”.
Segundo a assessoria, os moradores declararam ser a favor da preservação, mas contra a criação de uma reserva biológica ou de um parque nacional. O prefeito Carlos Augusto Machado “Canduca” declarou que a região de Mata Atlântica das duas cidades é uma das áreas mais preservadas do país e não corre qualquer risco.
De acordo com a prefeitura, diante “do afinado coro de rejeição às propostas, a discussão foi postergada para outra ocasião, em que serão estudadas a possibilidade de criação de uma reserva de uso sustentável”.
Projetos ferem direito cultural das comunidades
O Conselho Regional de Desenvolvimento Rural, Pesqueiro e do Artesanato do Litoral Paranaense (Cordrap) considera que a criação de novas UCs na região ferem o direito cultural das comunidades.
“Na legislação que criou as APAs, a população tradicional deveria ter sua condições de vida e seus modos de acesso e uso dos recursos naturais protegidos”, afirma o presidente do conselho, Ailson Orlei Moro Camargo.
O Cordrap é composto por representantes dos segmentos da pesca, agricultura, artesanato, entidades, câmaras de vereadores e prefeituras de todos os municípios do Litoral.
No dia 3 de dezembro, a assembleia geral do conselho decidiu, após conversa com o procurador da República Alessandro José Fernandes de Oliveira, encaminhar um pedido de adiamento das audiência públicas em Guaratuba e Antonina ao Ministério Público Federal, em Paranaguá.
No pedido, o conselho afirma que as UCs poderão representar mais prejuízos à economia da região e não trarão nenhum ganho em preservação ambiental.
Para os 45 conselheiros que assinaram o pedido, o adiamento das reuniões possibilitaria a discussão da necessidade de priorizar, “além do direito Natural, também o direito Cultural, com as comunidades residentes, universidades, setor privado, legislativo e executivo dos municípios e para que as populações também tomem conhecimento mais preciso das leis e decretos” que regulamentam a criação e o funcionamento das APAs e UCs.

Fonte: Correio do Litoral.

COMO É QUE VOIS MECÊ AGIRIA ?



Quando comecei a postar este Blog ha exatamente uma semana, recebi algumas criticas em tons de gozações de "amigos" que não toleram falhas ortográficas e/ou de digitação. Fiquei muito feliz, porque senti que estou sendo observado por um grande numero de pessoas que jamais imaginei, e tudo isso em apenas uma semana, aumentando ainda mais a minha responsabilidade. A tá..., não estou nem aí com a troca de um S por C ou inversão de palavras, pois isso, não irá tirar a essência de uma ou varias opiniões publicadas neste Blog, este afinal é o PONTO DE MINHA VISTA. Hehehehehe...


Aceitar os erros dos outros é mais fácil do que aceitar os próprios erros. Essa é uma verdade que todos nós devemos assimilar, para assim, nos compreendermos melhor. Quantas vezes acusamos nossos amigos de erros que também já cometemos? É sempre mais fácil criticar. Por isso, antes de ficar com raiva de alguém imagine você cometendo o mesmo "erro" que ele. Como é que vois mecê agiria!?

domingo, 17 de janeiro de 2010

VOCE É UM CUPIDO E NÃO SABE...



A maioria dos relacionamentos tem uma pessoa que de certa forma é um “cupido”, essa pessoa sempre sabe mais do que o próprio namorado ou namorada. Esse “cupido” sempre escutas os problemas do casal, sempre fica sabendo dos momentos de felicidades, esta presente em todos os momentos sendo eles ruins ou bons, sempre da conselhos, ajuda a resolver certas discussões, é um amigo indispensável no relacionamento.
Mas o que me chama a atenção é que esse “cupido” que sabe tanto resolver problemas de relacionamento tem sempre boas idéias e acaba ajudando o casal a se dar bem, mas nunca está com alguém! Como uma pessoa tem tanta experiência em lidar com relacionamento não consegui se dar bem em um, o que acontece? Será que ele se ocupa muito com o relacionamento dos outros que se esquece de ser feliz com o seu, ou será que ele é feliz cuidando do relacionamento dos outros?

Bom isso é difícil de entender, o importante é que esses “cupidos” existem e graças a eles tem muitos casais felizes, então nunca esqueçam sempre que for iniciar um relacionamento procure saber se tem um “cupido” por perto, pode ter certeza que ele vai te ajudar muito!

UM BOM DOMINGO PARA VOCE

sábado, 16 de janeiro de 2010

ANTONINA E MORRETES IRMÃS POR NATUREZA

Antonina & Morretes

Duas cidades históricas do litoral paranaense. A forma e a função.
As duas cidades,que de tão próximas, poderiam ser chamadas de irmãs, muito ao contrário disto, sempre viveram uma disputa intensa.
Bagrinhos de um lado e tatus de outro.
Para mim, resumindo toda a história, que conto em detalhes em outra oportunidade é aquele caso de duas irmãs, uma mais prática, outra muito mais vaidosa.
Antonina é outro porto do litoral paranaense de bastante importância, por aqui andaram, e firmaram pé, os Matarazzo.
Morretes que acabou sem um porto, tem Porto de Cima.
É o lugar para se banhar no rio de leito de pedras roladas.
Ao pé da serra, e da histórica Estrada da Graciosa acabaram se transformando durante muito tempo em local de turismo barato e poluente.
Hoje as duas cidades já não querem mais este título e se esforçam para fazer a transformação e recuperarem a autoestima.

As duas cidades em festividades diferentes.
Em outro momento, mostrarei as duas separadamente e em detalhes. Acreditem, tem muitos detalhes.
Por isto não vou comentar muito, hehe!
Uma religiosa, com muita essencia gastronômica, e a outra durante o festival de inverno, que reúne estudantes de música de todas as partes do Brasil.
Tem ainda, o Festival Gospel, Festa da Padroeira da cidade que demonstra a fé dos Evangélicos e dos Católicos em perfeita harmonia.
Fé e esperança.Música e estudantes...pura cor!

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

JUÇARA A REDENÇÃO OU EXTINÇÃO NO LITORAL




A secretária Lygia Pupatto, da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, visita a sede da Associação de Pequenos Produtores Rurais e Artesanais de Antonina (Aspran), nesta sexta-feira (15), em Antonina. A Secretaria liberou quase R$ 140 mil para a realização do projeto
A Aspran e a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) desenvolvem o projeto “Geração de tecnologias para produção comercial de polpa de frutos de Juçara no Litoral do Paraná”, que tem o objetivo de gerar emprego e renda aos agricultores familiares de Antonina, Guaraqueçaba e Morretes, além de contribuir com a conservação da palmeira juçara, espécie ameaçada de extinção.

Data: sexta-feira - hoje
Horário: 14h
Local: Sede da Aspran – Comunidade Cachoeira - Antonina

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

UM ANJO QUE PASSOU PELA TERRA


Zilda Arns morreu em missão no terremoto no Haiti.
Nascida em Forquilhinha (SC), Zilda Arns residia em Curitiba (PR), era viúva desde 1978, teve cinco filhos (um já falecido) e dez netos. Ela escolheu a medicina como missão e enveredou pelos caminhos da saúde pública. Sua prática diária como médica pediatra do Hospital de Crianças Cezar Pernetta, em Curitiba (PR), e posteriormente como diretora de Saúde Materno-Infantil, da Secretaria de Saúde do Estado do Paraná, teve como suporte teórico diversas especializações como Saúde Pública, pela Universidade de São Paulo (USP) e Administração de Programas de Saúde Materno-Infantil, pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS/OMS).
Sua experiência fez com que, em 1980, fosse convidada a coordenar a campanha de vacinação Sabin para combater a primeira epidemia de poliomielite, que começou em União da Vitória (PR), criando um método próprio, depois adotado pelo Ministério da Saúde. Em 1983, a pedido da CNBB, criou a Pastoral da Criança juntamente com Dom Geraldo Majela Agnello, Cardeal Arcebispo Primaz de Salvador, na Bahia, que na época era Arcebispo de Londrina.
Em 2004, Zilda recebeu da CNBB outra missão semelhante: fundar, organizar e coordenar a Pastoral da Pessoa Idosa. Atualmente mais de 129 mil idosos são acompanhados todos os meses por 14 mil voluntários. Pelo seu trabalho na área social, Zilda recebeu condecorações tais como: Woodrow Wilson, da Woodrow Wilson Fundation, em 2007; o Opus Prize, da Opus Prize Foundation (EUA), pelo inovador programa de saúde pública que ajuda a milhares de famílias carentes, em 2006; Heroína da Saúde Pública das Américas (OPAS/2002); 1º Prêmio Direitos Humanos (USP/2000); Personalidade Brasileira de Destaque no Trabalho em Prol da Saúde da Criança (Unicef/1988); Prêmio Humanitário (Lions Club Internacional/1997); Prêmio Internacional em Administração Sanitária (OPAS/ 1994); títulos de Doutor Honoris Causa das Universidades: Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Universidade Federal do Paraná, Universidade do Extremo-Sul Catarinente de Criciúma, Universidade Federal de Santa Catarina e Universidade do Sul de Santa Catarina. Dra. Zilda é Cidadã Honorária de 10 estados e 35 municípios e foi homenageada por diversas outras Instituições, Universidades, Governos e Empresas.

*Texto: Fundação Maria Lúcia Jaqueira de Mattos

COISA DE MOLEQUE

Num reino não muito distante...
A prefeitura já tinha dado um bom tempo para que todos arrumassem as suas calçadas. Caso a calçada estivesse com buracos ou irregular o morador seria multado e multa seria bem salgada.
Antes de terminar o prazo ele se encheu de disposição e foi lá arrumar a calçada. Comprou areia cimento e pedras. Fez a massa e reformou a calçada. Depois de pronto ele pensou:
Se eu não colocar nenhum obstáculo a molecada vai querer pisar, riscar e vai virar aquela bagunça. Sendo assim ele colocou uns pedaços de madeira, vassoura, rodo e outras coisas. Depois entrou para descansar um pouco.
Mais tarde ele foi dar uma olhadinha para ver se o cimento já estava seco. Para a sua surpresa os obstáculos que ele havia colocado tinham sido roubados. Foi embora vassoura, rodo e até os pedaços de madeira que ele tinha deixado lá, e ainda por cima a calçada estava cheia de pegadas, nomes e outras coisas mais.

Nervoso com a situação ele arrumou novamente a calçada, colocou umas latas e outras madeiras, depois foi tomar uma café. Na volta não tinha nem cheiro das latas a nem das madeiras, a turma não perdoava nada mesmo. Se ele estivesse ali era capaz do povo levar ele também. Ele até pensou: vou colocar umas dívidas que eu tenho para ver se a turma leva também. Assim não ia dar certo, tudo o que ele colocava ali o povo levava embora. Ele resolveu colocar um banquinho no portão e ficar ali até que o cimento estivesse mais firme. Isso foi lá pelas duas horas da tarde. Ele teve que ficar ali até a noitinha. Tudo por causa daquela molecada triste.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

VAMOS PENSAR UM POUCO...

"Por causa das transgressões de uma nação, ela terá muitos governantes,mas o líder, prudente e inteligente torna a nação forte e permanente". Prov 28.2
Por Lucina Braune Em, 13/01/2010 - 11:15Hs
.........................................................................
É isso aí minha amiga Luciana. Gostei muito de sua participação e da sua mensagem.Continue nos enviando tbém a sua opinião. Ok. Rosil

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

ESCOLA MUNICIPAL É INVADIDA POR POSSEIRO

Esta é a Escola Municipal Profa. Rufino Macedo, desativada desde meados de 2003, localizada na Zona Rural do Lageado-Cupiuva , Estrada PR 480 de Antonina.Foi nela que iniciei a minha carreira no serviço público, onde dediquei 10 anos(78/88)  de minha vida como Professor de 1ª a 4ª Series.  Esta escola, embora abandonada, ainda pertence à Prefeitura de Antonina, e sua area foi doada nos anos 60, pela então Casa dos Estudantes Universitarios de Curitiba-CEU, onde recebia em Antonina, o nome de Ceulandia, com o objetivo de abastecer os seus alunos com hortifrutigranjeiros. Nesta semana tive a triste noticia de que esta escola foi invadida pelo posseiro que mora ao fundos, onde cercou com arame farpado todo o pátio e está fazendo plantações e ainda guardando madeira duvidosa dentro da escola(foto). ABSURDO! Ainda bem que a Divisão de Patrimonio da Prefeitura e a Procuradoria Geral do Municipio, já estão tomando as devidas providencias de reintegração de posse. Eu  sugiro que a mesma seja concedida a Associação de Moradores da região e ali seja implantado um curso de Alfabetização para Adultos ou  similar, o que não pode é continuar abandonada.  Tem que haver um destino util e comunitario para esta que um dia já foi uma escola de nossa história!

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

SE ACONTECEU EM ANTONINA É MERA COINCIDENCIA

Éra uma vez...
Médico jovem, recém formado, boa pinta, bom caráter e com aquele indescritível desejo de cumprir uma nobre missão, o doutor, após examinar com cuidado todas as possibilidades, resolveu que queria ser médico de interior, de cidadezinha pequena mesmo.

Decisão tomada, mãos à obra. Cheio de boa vontade, olhou o mapa do Brasil aberto sobre a cama, deu um rodopio com a mão, fechou os olhos e fez cair o dedo indicador sobre o mapa. O destino o guiaria. A cidade sobre a qual seu dedo recaísse, seria a escolhida!

Abriu os olhos para ver o resultado. Pareceu-lhe um tanto amedrontador, apesar da decisão tomada: O vilarejo “eleito” ficava bem no meio do Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais, lugar para desbravadores!

Mesmo sentindo aquele friozinho percorrer-lhe a espinha, o doutorzinho não recuou: “Afinal de contas, o que sou eu? Um homem ou um saco de batatas?” – perguntou-se a si mesmo. E, convicto, reuniu seu apetrechos médicos e partiu para sua nova cidade, onde estabeleceu seu consultório.

Filho de pais abastados, acostumado a boas escolas e a um bom vernáculo, assim que os pacientes, já devidamente informados pelo velho e infalível método da propaganda “de boca em boca” começaram a disputar os lugares na sala de espera do “doutorzim”, nosso herói teve seu “batismo de fogo”.

A primeira paciente entrou aflita!

- Acalme-se, minha senhora, vamos fazer sua anamnese – disse-lhe o doutorzim, em tom de conselheiro.

- Dotô, se o senhor quer fazer “maionésia”, é pobrema do sinhô. Agora, só quero que me dê alívio desta agastura!” – respondeu a paciente em tom suplicante.

Sem a mínima noção de que seria “agastura”, o doutorzim não desanimou:

- Minha senhora, pode me dizer qual é a sua queixa?

- Dotô, tô com uma agastura que tá me matando, cá no estômbico, causa que tenho uma úrsula perfurada na diadema!

O doutor, boquiaberto, coçou a cabeça. Não entendera patavina o linguajar de sua paciente. Mas não era homem de desistir!

Levantou-se da cadeira e foi até a porta e, sem rodeios, falou alto para os demais pacientes, na sala de espera: “Sei que este é o meu primeiro dia de trabalho aqui. Mas aviso que esta consulta vai ser demorada. Quem tiver paciência para esperar, fique. Senão, volte amanhã”!

E, decidido, entrou no consultório, disposto a desvendar o mistério da estranha doença que tinha pela frente.

Aí, “coisa e tar e tar coisa” (expressão com a qual, logo, logo, ficaria familiarizado), o nosso herói empreendeu uma longa e dificílima batalha, que durou mais de meio dia.

Finalmente, lá pelas três da tarde, conseguiu descobrir que “a agastura no estômbigo, mode uma úrsula perfurada na diadema” era, trocando em miúdos (ou em bom vernáculo) “uma queimação no estômago, por causa de uma (suposta) úlcera estuporada no duodeno”.

Mais feliz do que Napoleão depois de uma batalha ganha, o dotorzim pôde inaugurar seu bloco de receituários, prescrevendo a medicação para a senhora, sua primeira paciente. Atitude que, meio constrangido deve que desistir, rasgando, em seguida, a receita: o fármaco, em questão, fazia parte do seu estoque de “amostras grátis”.

A paciente saiu satisfeita, levando uma sacolinha de quatro caixas de comprimidos e uma caixa de solução aquosa.

Ainda procurando relaxar do embate terminado, para melhor deliciar-se com o sucesso de sua consulta, olhou, displicentemente, para a sala de espera.

Lá estava, mineiramente acomodado, o seu segundo paciente que, de relance, percebeu, era mais matuto que a primeira.

Mas era homem de decisão. Endireitou os ombros e, corajosamente, quase gritou: “O próximo!

Mal sabia que outra luta começaria e só terminaria às oito da noite: o segundo paciente desejava marcar uma “operação na apênis”.

Depois de ter, finalmente, compreendido que o segundo paciente desejava, na verdade uma cirurgia no apêndice, forneceu mais algumas amostras grátis e, cansadíssimo, deu por encerrado o expediente.

Feliz da vida pelo seu primeiro dia de clínica médica exitosa, fechou o consultório e foi embora para casa, levando, embaixo dos braços um leitão e duas galinhas.

Pagamento de seus honorários!
Contado por Dr. Maya - em 1980.

CORAGEM LÍQUIDA.

NUM REINO MUITO DISTANTE...
O novo padre da paróquia estava tão nervoso no seu primeiro sermão ao ponto de quase não conseguir falar. Antes do seu segundo sermão, no domingo seguinte, perguntou ao arcebispo como poderia fazer para relaxar, e este lhe sugeriu que na próxima vez, colocasse umas gotas de vodka na água, e que depois de uns goles estaria mais relaxado. No seguinte domingo aplicou a sugestão e sentiu-se tão bem, que poderia falar alto até no meio de uma tempestade, de tão feliz e descontraído que se encontrava. Depois de regressar a reitoria da paróquia, encontrou uma nota do arcebispo dizendo:

1- Na próxima vez coloque gotas de vodka na água e não gotas de água na vodka.

2- Não coloque limão e açúcar na borda da taça.

3- O missal não é apóia copo.

4- O manto da imagem de N.S.J. não deve ser usado como guardanapo.

5- Existem 10 Mandamentos e não 12.

6- Existiram 12 apóstolos e não 10.

7- Não nos referimos a Cruz como aquele "T" grande.

8- Não nos referimos ao nosso salvador Jesus Cristo e seus apóstolos como JC e sua Banda.

9- David derrotou Golias com um estilingue e uma pedra, nunca chutou o saco dele.

10- Não nos referimos a Judas como Chunda.

11- O Papa é sagrado e não castrado; e não nos referimos a ele como O Padrinho.

12- O Pai, o Filho e o Espírito Santo não são o Velho, o Júnior e o Aparecido.

13- Judas não enforcou Jesus e Tiradentes não tem nada haver com a história.

14- A hóstia não é chiclete, portanto evite tentar fazer bolas.

15- Procure moderar-se no vinho e mesmo assim, beba-o em uma taça.

16- Backstreet Boys não estava na relação de músicas do coro.

17- Aquela casinha era o confessionário e não o banheiro.

18- Evite se apoiar na imagem de Nossa Senhora, muito menos abraçá-la.

19- A iniciativa de chamar o público para dançar foi muito plausível, mas fazer trenzinho e correr pela igreja não.

20- Limite-se a sermões sobre religião e evite falar de futebol e política.

21- Água benta é para se benzer e não refrescar a nuca.

22- Nunca reze a missa sentado na escada do altar, muito menos com o pé sobre a Bíblia Sagrada.

23- As hóstias devem ser distribuídas para o povo e não usadas de aperitivo para acompanhar o vinho.

24- Nem Bruce Willis nem Sharon Stone estavam na reencarnação de Cristo.

25- Aquele pregado na cruz era Jesus Cristo e não Raul Seixas.

26- Edir Macedo não é diretor financeiro da Igreja Católica.

27- Procure usar roupas de baixo da batina. Evite abanar-se com a batina quando estiver com calor.

28- Nunca, mas nunca mesmo leia "Casos Sexuais Verídicos" em uma missa.

29- O nome do Papa é João Paulo e não Leonardo, e nenhum dos dois fizeram dupla com Xororó.

30- Belém onde Jesus nasceu não fica no Pará.

Pelos 45 minutos de missa que acompanhei, notei essas falhas. Lembro-me de que uma missa leva em torno de 1 hora e não dois tempos de 45 minutos. Numa missa não se faz perguntas ao público, nem existem cartas e universitários. Onde reza-se a missa não é chamado de "Palco Mundo" e sim altar. Aquele, sentado no canto do altar, o qual referiu-se como travesti de saia, era eu.
Espero que tais falhas sejam corrigidas no próximo domingo.

Atenciosamente: Arcebispo

domingo, 10 de janeiro de 2010

ANTONINA, UMA CIDADE BONITA MESMO COM CHUVA



Mesmo com chuva Antonina continua bonita, veja esta foto tirada neste domingo cinzento. So para refletir e contemplar. Amanhã começara tudo novamente... 

sábado, 9 de janeiro de 2010

ANTONINA TEM O MELHOR CARNAVAL DO LITORAL PARANAENSE



Esta multidão espera por voce e sua família na edição do Carnaval 2010 em Antonina, com muita alegria e segurança. Conheça voce também o nosso Carnaval, seguro, familiar e muito alegre e com muita infraestrutura própia para a época.
Se voce já conhece o nosso Carnaval, qual a sua opinião sobre ele ? O que voce espera para este ano?

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

NASCE O PONTO DE MINHA VISTA

Neste momento, nasce mais uma fonte de informações virtuais com o título "O Ponto de Minha Vista", com o objetivo de interagir com os internautas e compartilhar opiniões e experiencias em busca de soluções sobre diversos assuntos ligados principalmente a nossa tão querida Antonina e ao Mundo em geral.

O Ponto de Minha Vista, é um convite a Você a repensar melhor sobre  a nossa Cidade, Litoral, Paraná e o Brasil, mesmo que utopicamente.  - Este é o Ponto de Minha Vista e o seu? SEJA BEM VINDO...