Pesquisar neste blog

ANTES DE SAIR DESTE BLOG CLIC NUMA DE NOSSAS PUBLICIDADES

ACONTECENDO VOCÊ FICA SABENDO, AQUI:

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

OS NEGROS NO FUTEBOL



Este dia 20 de novembro de 2012 marca os 317 anos da morte de Zumbi dos Palmares, e o feriado conhecido como Dia da Consciência Negra visa lembrar aos brasileiros a importância do povo africano na formação da cultura nacional. E, como não podia deixar de ser, no futebol, esporte mais importante do país e forte expressão da cultura brasileira, o negro também teve - e continua tendo - participação importante.

O futebol chegou ao Brasil com status de esporte de elite. Na Inglaterra, já era jogado por operários de fábricas, mas chegou a terras brasileiras por meio de estudantes de classe alta, que voltavam do Reino Unido com bolas e chuteiras na bagagem, como foram os casos de Charles Miller e Oscar Cox, os pioneiros da modalidade no Brasil.

Bangu e Vasco: pioneirismo e "exclusão"

No entanto, não demorou muito para que o football conquistasse os operários e trabalhadores também do Brasil. O exemplo mais simbólico é o do Bangu Atlético Clube, time fundado por ingleses, mas formado, em grande parte, pelos operários da Fábrica de Tecidos Bangu, no subúrbio do Rio de Janeiro. O clube foi o primeiro no estado a escalar um atleta negro, Francisco Carregal, em 1905. O feito fez com que, em 1907, a Liga Metropolitana de Football (equivalente à atual FERJ) publicasse uma nota proibindo o registro de "pessoas de cor" como atletas amadores de futebol. O clube, então, optou por abandonar a Liga e não disputar o Campeonato Carioca.

O Bangu ficou conhecido como um clube símbolo da luta contra o racismo no futebol brasileiro, mas foi o Vasco da Gama que entrou para a História ao conquistar um título com um plantel formado quase que inteiramente por jogadores negros, muitos deles "contratados" junto ao Bangu (à época, o futebol ainda era amador, e não havia contratações formais de atletas). O clube, que em 1905 já havia elegido um presidente mulato, Cândido José de Araújo, foi campeão carioca em 1923, seu ano de estreia na Primeira Divisão, e despertou a ira dos rivais. No ano seguinte, Fluminense, Flamengo, Botafogo e outros times abandonaram a Liga e fundaram a Associação Metropolitana de Esportes Atléticos (AMEA), entidade à qual o Vasco só poderia se filiar se dispensasse seus 12 atletas negros.

Cabelo esticado e pó-de-arroz para disfarçar


Apesar do grande racismo no futebol brasileiro no início do século XX, o primeiro grande ídolo da modalidade no país foi justamente um mulato. Filho de um alemão com uma brasileira negra, Arthur Friedenreich foi o maior jogador brasileiro na época do futebol amador. Autor do gol que daria o primeiro título à Seleção Brasileira, o Sul-Americano de 1919, Friedenreich era mulato e tinha olhos verdes. antes de entrar em campo, o atacante esticava o cabelo rente ao couro cabeludo para parecer "mais branco".

Tática semelhante foi usada por Carlos Alberto, jogador que trocou o America pelo Fluminense em 1914. Como a camisa branca do clube de elite da zona sul contrastava com sua pele mulata, Carlos Alberto entrava em campo maquiado com pó-de-arroz, que, ao longo da partida, ia escorrendo junto ao suor. A torcida então passou a gritar "pó-de-arroz", que posteriormente se tornaria um apelido dos adeptos tricolores.

Profissionalismo e a inserção do negro no futebol


O Fluminense, aliás, também teve sua participação na luta contra o racismo no futebol, apesar de involuntariamente. À medida que a presença de negros e mulatos foi se tornando cada vez mais aceita dentro dos elencos - ou necessária, pois o nível do futebol praticado em campo ia melhorando e os times se viam obrigados a contar com jogadores de todos os tons de pele para poder competir em pé de igualdade com seus rivais - o clube das Laranjeiras viu aumentar o preconceito dos sócios com os jogadores negros que frequentavam sua sede. Como uma medida para separar sócios de jogadores, o Fluminense entrou na briga pela profissionalização do futebol no início da década de 1930, fazendo com que seus jogadores, agora empregados assalariados, entrassem na sede das Laranjeiras pela porta de funcionários e não mais tivessem contato com os sócios elitistas.

A profissionalização do futebol no Brasil foi um grande passo para a redução do racismo na modalidade. Como os atletas passaram a ser contratados e pagos de acordo com seu nível técnico, a cor de pele dos jogadores passou a ser uma questão menos importante. A nova situação do futebol brasileiro propiciou o reconhecimento de talentos como Leônidas da Silva, o Diamante Negro, que encantou o mundo na Copa de 1938, na França. Antes disso, a presença de negros na Seleção Brasileira ainda era vista com maus olhos.

Em 1921, por exemplo, o então presidente Epitácio Pessoa sugeriu que não fossem convocados jogadores negros para a disputa do Sul-Americano daquele ano para que fosse projetada no exterior "uma imagem composta pelo melhor da sociedade brasileira". No entanto, a popularização do futebol ao longo do século passado o expandiu a todas as camadas sociais do país, e negros como Domingos da Guia, Leônidas, Barbosa, Nilton Santos e outros foram conquistando seu espaço nos clubes e na Seleção e agregando valor ao futebol brasileiro.

Atualmente, ainda não é possível dizer que o futebol brasileiro se viu livre do racismo. No entanto, é evidente o reconhecimento da participação do negro no desenvolvimento do futebol do país, a ponto de o melhor jogador de todos os tempos, eleito atleta do século XX, Pelé, ser negro e não precisar esticar o cabelo nem passar pó-de-arroz para ter seu talento reconhecido.



terça-feira, 20 de novembro de 2012

OS CONTRASTES DA POLITICA





João Domero, o Prefeito Eleito de Antonina
Um montante de R$ 20 milhões separa João Domero e Carlos Gil, prefeitos eleitos com o menor e o maior valor em bens declarados
Não há nada que não possa ser conquistado com a ajuda e a boa vontade dos amigos. Em Antonina, no litoral, o PSC conquistou a prefeitura com João Ubirajara Lopes, o João Domero, prefeito eleito no Paraná com o menor valor de bens declarados. Seu único bem declarado à Justiça Eleitoral foi uma caderneta de poupança no valor de R$ 1.600. “Tive alguns problemas de inadimplência com os bancos e não pude financiar mais nada”, explica o novo prefeito, admitindo ter um carro Escort 98 financiado no nome de um amigo e um pequeno terreno, em nome de seu filho.
Sem coligações e com ensino superior incompleto, João Domero, administrador da Apae de Antonina desde 2004, conseguiu desbancar três outros candidatos que tinham apoio de outros partidos. Ele foi eleito com 41,12% dos votos válidos. “Não tive apoio nem do meu próprio partido, que estava focando tudo o que tinha no Ratinho Júnior. Nem a visita dele consegui. Quem veio foi só o [deputado estadual Leonaldo] Paranhos, que me ajudou com material gráfico”, conta. Ex-secretário de Turismo no mandato da ex-prefeita Mônica Peluso, com quem concorreu neste pleito, Domero acrescenta que o restante de sua campanha foi bancada por amigos. Eles lhe emprestaram carros de som e doaram outros recursos, totalizando a quantia de R$ 2.350. “O povo votou porque ninguém aguenta mais politicagem. Agora é só trabalhar e fazer algo pelo município”, diz.
 Contraste
Os R$ 1.600 declarados de João Domero formam um contraste e tanto com o montante informado pelo candidato à prefeitura de Ivaiporã, Carlos Gil (PMDB). Seus mais de R$ 20 milhões distribuídos entre terrenos e participações nas empresas da família o colocam como o prefeito mais rico do Paraná.
Investimento
Gil investiu pesado na campanha. Perto de R$ 450 mil foram necessários para vencer uma disputa apertada com o segundo colocado, Professor Cyro (PT). Apenas 69 votos a mais beneficiaram o peemedebista na cidade de pouco menos de 32 mil habitantes. “Sem dizer meu nome, eles me chamavam de ‘o milionário’, ‘o ricaço’ nas campanhas. Mas meus dois adversários são meus vizinhos aqui no bairro, então não moram mal também”, brinca.
Concorrendo ao Exe­­cu­­­tivo pela primeira vez, o empresário formado em Direito e com especialização na área administrativa diz que o ingresso na vida pública era um próximo passo lógico em sua carreira meteórica. Segundo ele, foi sua trajetória a única responsável pelo rápido enriquecimento da família, dona de postos de gasolina, hotel e uma rede de lojas de materiais de construção. “Comecei a trabalhar aos 16 anos e já havia sido convidado para concorrer antes, mas não podia deixar os negócios. Agora, senti que a vida empresarial estava cumprida e resolvi usar a experiência para melhorar a cidade onde moro há 50 anos”, declara.

Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br/vidapublica/conteudo.phtml?id=1318972

sábado, 10 de novembro de 2012

JOÃO DOMERO, NA RADIO ANTONINENSE FM 98,3



Hoje pela manhã em meu programa "Sábado é Samba",  as 10Hs na Rádio Antoninense FM,   entrevistei o Prefeito eleito JOÃO DOMERO, com a sua simplicidade que lhe é peculiar,  deixou bem claro que será fiel aos anseios do Povo que  votou e não votou nele, pois a partir de 1º de janeiro de 2013, ele será o Prefeito de todos os Antoninenses.

 O QUE MAIS MARCOU A CAMPANHA
A primeira visita, feita a casa da senhora Maria, moradora do Km 4, próximo da oficina do João do Ouro, ao nos receber em sua casa, ela e o seu marido, pessoas simples, logo nos convidaram para adentrar em sua casa. A dona Maria, não conhecia o João Domero, então, meio nervos ainda, começamos a apresentar as nossas idéias para uma Antonina de verdade. O emocionante foi na saída  o casal, nos emocionou, pois profeticamente: "falaram, tai gostamos de vocês, se continuarem assim nesta humildade e simplicidade, vocês irão ganhar estas eleições, mas depois de eleitos, queremos ver se voltam aqui em casa para agradecer os votos recebido, João, você será o Prefeito de Antonina". Nossa, isso me marcou muito e foi o empurrão que precisávamos, saímos da li todos alegres e não paramos mais até o dia 7 de outubro. E não é que ganhamos ? Com voz embargada, emocionado, João disse: "Rosil, isso me marcou tanto, que a d. Maria e o seu esposo, lá do Km 4, foram os primeiros eleitores a receberem o meu abraço de agradecimento". Jamais irei esquece-los  e irei pagá-los com o meu trabalho em prol das necessidades daquele bairro. 
 
TRANSIÇÃO
João Domero,  e sua equipe, estão na fase de transição  com o Prefeito Canduca e na troca de informações ele já está por dentro de quase uns 80% dos principais assuntos que norteiam a realidade presente e futura de Prefeitura.
 
PRESSÕES
JDomero, alertou aos "amigos de última hora" que na escolha de seu secretariado em sua maioria já formado, não aceitará pressões ou pré julgamentos. Salientou na entrevista,que durante as reuniões de campanha, ele disse que fará um Contrato de Gestão, assinados junto com o termo de posse e decreto de nomeação,  válidos por aproximadamente 12 meses com todos os secretários, e que durante este´periodo serão constamente avaliados por um conselho interno, formado pelo grupo que o ajudou em sua eleição, se o secretario não der no "coro", será convidado para sair. E não aceitará corrupção em seu Governo.

SERVIDORES MUNICIPAIS
Segundo ele, aquele que trabalha, cumpre com as suas obrigações,  não há o que temer e serão avaliados e valorizados na forma da lei e espera contar com o apoio de todos os servidores de carreira para juntos fazerem um bom Governo com qualidade funcional que o povo merece.

CANDUCA
Perguntado por mim como é o seu relacionamento com o atual prefeito Canduca, ele deixou bem claro que é muito boa, pois são amigos desde a  infância e se conhecem muito bem, e agradece a sua importante adesão à campanha, preponderante para a sua vitória, disse ainda que o Canduca, é um homem do bem, e está fazendo de tudo para uma transição tranquila, tanto é a vontade de ajudar, que nesta segunda-feira, 12/11, estarão juntos viajando à Brasilía, participando da marcha dos prefeitos que lutam por melhores compensações pela queda na arrecadação FPM, e que numa segunda oportunidade estarão em audiência com o Dep. Federal, André Zacharoff, para a consolidação  da Emenda Parlamentar no  valor de 2,5 milhões de reais, para a compra dos equipamentos especiais do novo Hospital da cidade.  

PRIORIDADES INICIAIS
João Domero, salientou durante a entrevista que primeiro acertará alguns ponteiros da casa (Prefeitura) nos aspectos funcionais, mas que não irá mexer em "times" que estiverem ganhando, dando certo. Na sequência, dará sim prioridade à área de Saúde do Município, dando uma geral naquela pasta. Perguntei-lhe então qual o critério usado para a escolha do Secretario Municipal de Saúde? Ele, no ato respondeu: a COMPETÊNCIA, disse que a escolha do Sr. Manoel, da vizinha cidade de Morretes, foi pessoal, por conhecer o seu trabalho, o sr. Manoel, é formado em Gestão de Saúde e Auditor de gestão pública, e já foi secretario de saúde de 5 cidades do Paraná, e por último atuou na cidade de Morretes, de onde pediu a exoneração.   
João, continuou, dizendo que agiu da mesma forma na escolha de todos os demais Secretários  Municipais, buscando o melhor qualificado para a função e serão conhecidos oficialmente, a partir de 1º de janeiro de 2013.

VEREADORES
Na questão de relacionamento com os 11 vereadores futuro ele  buscará sempre a União e Harmonia entre os Poderes  na busca de soluções e projetos para a nossa cidade. Mas, deixou bem claro que não aceitará velhos costumes de conchavos ou barganhas de cargos  para garantir votos. O seu tipo de "barganha" será outro,  atenderá todos os vereadores independente de partidos que pertençam, citou como exemplo, o vereador eleito, Ademir Barroca, do Km 4, se este apresentar um bom projeto que vá beneficiar a sua comunidade do 4, então fará tudo para atender, e quando realizado irá até a comunidade e dirá este projeto, é do Vereador Ademir, todos os louvores pra ele, no meio do povo. Nada além isso...esta será a minha forma de trabalhar com os Vereadores, completou João Domero.

APAE DE ANTONINA
Agora Prefeito, dará o maior apoio à APAE de Antonina, buscando mais recursos do FUNDEB para a Escolinha Especial, pois há muito tempo que as professoras da APAE não tem um reajuste em seus salários, ficando cada vez mais crítico a situação destes profissioniais. Escolinha da APAE hoje, deixa a Prefeitura com menas preocupação educacional, mas que se não existisse  o Município teria que criar uma Escola Especial para atender a clientela.  Em breve a APAE de Antonina, receberá um ônibus novo todo adaptado para antender os nossos amiguinhos especiais.  Por isso, uma nova Diretoria será empossada no próximo ano. A APAE é o meu Chodó, e jamais irei abandoná-la.

AGRADECIMENTOS
No final da entrevista, mais uma vez agradeceu a todos os ouvintes pela confiança e credibilidade nas suas propostas para o futuro da cidade fazendo uma Antonina de Verdade. Agradeceu a Deus, sua família e ao seu grupo que sempre acreditaram na possibilidade de sua eleição com 5.133 votos, e que sempre estará no meio do Povo para ouvir os seus anseios e tentar transformá-lo em realidade.
.................................................................................................................................................................
N.E.: Esta é uma síntese da entrevista concedida pelo Prefeito eleito JOÃO DOMERO, no meu programa de hoje, sábado na Radio Antoninense FM, no horário das 10:30Hs às 11:45Hs. O telefone não parava de tocar. rsrsrsrsrs. 

   


  

PARTICIPE, TERMINA NESTE DOMINGO




N.B.: Este é o maior entrontro Evangélico de Antonina, culminando neste domingo com a Marcha para Jesus, partindo do Bairro do Batel para o centro da cidade onde milhares de pessoas cristãs de várias denominações acompanham.

sexta-feira, 2 de novembro de 2012