Pesquisar neste blog

ANTES DE SAIR DESTE BLOG CLIC NUMA DE NOSSAS PUBLICIDADES

ACONTECENDO VOCÊ FICA SABENDO, AQUI:

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

ATÉ TÚ DANIEL ? EXPLIQUE-SE...


Daniel Lúcio (esq.) é suspeito de envolvimento em desvio de cargas no porto paranaense

A Polícia Federal prendeu nesta quarta-feira oito pessoas suspeitas de integrarem uma quadrilha que desviava cargas do porto de Paranaguá (PR), segundo maior do país. Um dos presos é Daniel Lúcio de Oliveira de Souza, ex-superintendente da Appa (Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina). Souza comandou a administração entre outubro de 2008 e abril de 2010. A PF não divulgou qual é o papel do ex-superintendente no esquema de desvios.


Agentes da PF também cumpriram um mandado de busca e apreensão no apartamento em Curitiba de Eduardo Requião, irmão do ex-governador do Paraná e senador eleito Roberto Requião (PMDB). Eduardo ocupou o cargo de superintendente da Appa entre 2003 e 2008, quando seu irmão era governador. Os oito presos foram levados para a sede da Superintendência Regional da PF em Curitiba.


As prisões fazem parte da Operação Dallas. Ao todo, estão sendo cumpridos dez mandados de prisão temporária em Paraná, Santa Catarina e Rio de Janeiro, além de 29 mandados de busca e apreensão em empresas, terminais portuários, casas dos investigados e na sede da Appa. Segundo a Receita Federal, que participou da operação, a quadrilha é suspeita de desviar 10 mil toneladas de cargas anualmente, especialmente soja, farelo, milho, açúcar e trigo.


As investigações começaram há dois anos, após a Receita Federal receber reclamações de exportadores que se queixavam do sumiço de parte das cargas embarcadas em navios graneleiros. Segundo a Receita, parte do grupo preso nesta quarta é proprietário de um terminal de embarque no porto e de empresas exportadoras. A suspeita é de que eles se apropriavam da "retenção técnica", um percentual a mais de carga enviado pelos exportadores para cobrir perdas que podem acontecer em operações de armazenagem e embarque de granéis.


Segundo a Receita, quando o embarque era finalizado, os suspeitos informavam aos exportadores que não havia sobrado qualquer retenção. Depois, eles comercializavam a "sobra" ilegalmente no mercado interno. De acordo com a PF, os envolvidos podem ser indiciados por estelionato, apropriação indébita, falsidade ideológica, inserção de dados falsos em sistemas de informática, descaminho (contrabando) e formação de quadrilha.


Em nota, a administração do porto afirmou que os documentos solicitados pela Polícia Federal foram entregues e que a atual administração pretende contribuir com todas as diligências da autoridade policial. A defesa do ex-superintendente Souza não foi localizada pela reportagem.



Persona non grata


No ano passado, Daniel Lúcio, homem forte de Requião, foi declarado "persona non grata" em Paranaguá. A declaração for aprovada pelos vereadores da Câmara de Paranaguá, por 10 votos contra 1. A proposta aconteceu porque Daniel Lúcio não havia cumprido "compromissos que assumiu com a cidade" em agosto de 2009.
Fonte:Jornal Agora.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

CENTRO HISTÓRICO DE ANTONINA COM CARA NOVA


Preservar um belo patrimônio histórico e, de quebra, conseguir atrair mais turistas. Este é o objetivo da Prefeitura de Antonina, no litoral do Estado, ao recuperar a fachada de 65 imóveis antigos, alguns deles de suma importância para o município, como o edifício da própria prefeitura - onde há relatos que o então imperador Dom Pedro II passou a noite quando visitou a cidade - e o Teatro Municipal, construído em 1875.

A ação contou com apoio do governo do Estado. Para readequar os casarões, foram gastos pouco mais de R$ 200 mil e o trabalho levou 180 dias para ser concluído.

De acordo com o responsável pelo setor de Cultura da prefeitura, Robison Luiz Marcianiki, outras ações com o objetivo de preservar o Centro Antigo da cidade estão sendo tomadas.

“Entramos com o pedido de tombamento deste espaço como uma maneira de cuidar da nossa história. Já foi feito o inventário. O processo vai demorar um pouco, mas vai sair. Com a ajuda do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Cidades Históricas, vamos fazer o cabeamento subterrâneo para acabar com a poluição visual”, informa.

Arquivo

Além da recuperação e preservação das fachadas históricas, Marcianiki conta que a prefeitura está trabalhando, junto ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), para a construção de um Arquivo Público e de um Parque da Leitura.

“O Iphan já recuperou papéis e documentos antigos e vai investir na construção do Arquivo Público. Também estamos em fase final da construção de um espaço cultural, que vai reunir uma biblioteca, já inaugurada, uma praça de esportes e uma praça para leitura. Falta apenas autorização para licitação. Tudo deve custar R$ 1,4 milhão”, comenta.

Destino

Marcianiki acredita que todo esse projeto, a começar pela recuperação das fachadas, deve fazer de Antonina um destino para quem gosta de fazer turismo cultural.

“Estou certo que estas ações vão influenciar no turismo na cidade. Esta repaginação do nosso Centro Histórico vai melhorar o que temos de bom. Espero sim que haja aumento de turistas interessados em conhecer arquiteturas históricas”, afirma.

COMERCIANTES ANIMADOS...


Muitos dos imóveis que tiveram a fachada recuperada são comerciais. Um desses espaços pertence ao comerciante Atef Tassi, que possui uma loja de roupas. Ele revela ter gostado dessa mudança.

“Ainda precisamos melhorar muita coisa na nossa cidade, mas acredito que essa recuperação é um ótimo ponto de partida”, diz. Segundo ele, a fachada de sua loja ficou ótima. Em conversas com turistas, Tassi percebeu que eles também gostaram da mudança. “Ficou melhor do que era antes. Vejo também que outros comerciantes estão bastante animados. Acredito que essa melhoria vai fazer com que todos passem a cuidar melhor do patrimônio que possuem”, opina.

O farmacêutico André Luiz Picanço Carraro, que conserva sua farmácia com um visual antigo, faz coro em relação às melhorias que as fachadas trouxeram para cidade. “Antes a gente via as fachadas abandonadas, sujas e tinha a sensação de abandono. Agora esta situação se inverteu”, afirma. “Meu estabelecimento, por conta de seu jeito de farmácia do tempo em que se escrevia com “ph’, já era um ponto turístico e acredito que isso pode aumentar. De um modo geral, a cidade ganha mais um impulso para atrair o turista”, avalia.
Fonte:ParanaOline



sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

POLUIÇÃO VISUAL DA ABPF ATÉ QUANDO ?

Máquina e vagões poderiam ser explorados turisticamente, mas estão deteriorando e virou "ninho" de nóias 

O que poderia ser explorado como um ponto turístico no município de Antonina, no litoral do Paraná, está jogado às traças. O trem, que fica próximo à antiga estação, sofre com a falta de manutenção e com a ação de vândalos. Nos vagões, o que se vê é sujeira, pichações, vidros quebrados e descaso.

O aposentado Bianor da Silva lamenta ver esses bens depredados. Para ele, seria interessante que o trem e os vagões fossem recuperados. “Acho que seria muito bom se fizessem uma reforma. Nossa cidade tem poucos atrativos e quando poderia fazer uso de um, não pode. Do jeito que está não tem condições. A prefeitura deveria fazer algo para recuperar esse trem. É triste passar por aqui e ver essa cena”, afirma.

A dona de casa Celina Santana avalia que uma reforma poderia deixar a cidade até mesmo mais alegre. “Acho o trem bonito, pois lembra um tempo que não volta mais. Tinham que dar um jeito e fazer uma limpeza grande, pois as pessoas iriam visitar esse local. Quando passo por aqui, fico com a sensação de abandono”, conta.

Impedimento

O diretor de turismo do município, Cézar Broska, informa que a locomotiva não pertence a Antonina, mas sim à Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF), e que a cidade está impedida legalmente de mexer no trem.
Broska, a exemplo dos outros entrevistados, também acha que o turismo poderia ser explorado se houvesse reparos nos veículos. “Seria ótimo que o trem estivesse limpo e arrumado, pois muita gente vem até aqui para tirar fotos. Recentemente, nós organizamos um mutirão de limpeza, tirando, inclusive, pichações. Porém, alguns desocupados utilizam os vagões para consumo de drogas e acabam vandalizando e sujando tudo de novo. A gente até queria fazer reparos, mas não podemos. É uma pena”, comenta. A reportagem de O Estado entrou em contato com a ABPF para explicações, mas não conseguiu falar com os responsáveis.
Fonte: ParanáOline

.................................................................................................................................................................
Obs.: Comentários de Rosil do Pilar: Nós já denunciamos isso aqui em outras postagens. E opior é que  desde 2005, estes equipamentos da ABPF estão aí poluindo visualmente um de nossos principais cartões postais, que é a Estação Ferroviária. SOLUÇÃO, já que nem o Município e nem o Estado consegue localizar os responsáveis, a Secretaria Municipal de Turismo, pode expedir e publicar um Edital de Chamamento Público, à ABPF dando-lhes o prazo de até 72hs, após a data de sua publicação em veículos de comunicação de grande circulação,  para que retirem tudo da Estação(dentro e fora). O não atendimento, após as devidas análises jurídicas, a Prefeitura pode e deve, retirar todos aqueles equipamentos dalí. Vai dar um trabalhão danado, mas conseguem, se quiserem...

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

MEIO EXPEDIENTE EM ÓRGÃO PÚBLICO, CUIDADO?



Um ato inteligente do Prefeito Amilton se realmente o horário da Prefeitura mudou para das 8 ás 14 horas. A administração anterior usou esse horário e se deu bem. É bom para o servidor.

Fonte: Blog do meu amigo Orley Antunes
...................................................................................................................................................................
Obs.: Comentários de Rosil do Pilar: E daí, Morretes,Paranaguá, Matinhos e  Guaratuba,  fazem meio expediente na temporada de Verão. Lá não tem Ministério Público, só em Antonina? E a nossa Camara de Vereadores, inteligentemente, continuam tbém em meio expediente...Pô!

A NOVELA DO NOSSO PORTO CONTINUA - DIFICULDADES, BAIXO CALADO ???


O engenheiro Airton Vidal Maron tomou posse ontem, na sede da APPA.


Antonina e Pontal do Paraná

Maron disse que o porto de Antonina é visto como um terminal do porto de Paranaguá, e que o local apresenta algumas dificuldades de expansão, como por exemplo o baixo calado. Porém, ele revelou que um projeto com cimenteiras está sendo desenvolvido para o porto de Antonina.

Sobre a possibilidade da construção do porto de Pontal do Paraná, Maron se mostrou otimista. “A tendência dos portos é ir para alto mar. Então vejo que o Porto de Pontal do Paraná será o porto do futuro, apesar de ainda carecer de infraestrutura”, comentou.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

MISTÉRIO NA BAIA DE ANTONINA E REGIÃO. CRIME AMBIENTAL?


Levantamento feito pela Federação das Colônias de Pescadores do Paraná, em Paranaguá, no litoral do Estado, aponta que pelo menos 100 toneladas de peixes (sardinha, bagre e corvina) já apareceram mortas desde quinta-feira passada no litoral paranaense.

No domingo, técnicos do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sema), colheram amostras para verificar a razão das mortes. O relatório será divulgado hoje.

O presidente da Federação das Colônias de Pescadores do Paraná, Edmir Manoel Ferreira, conta que, entre Paranaguá e Guaraqueçaba, pelo menos 2,8 mil pescadores dependem diariamente dos frutos do mar.

“Na quinta-feira começamos a perceber muito peixe morto. Só uma comunidade chegou a enterrar 15 toneladas. Estamos vivenciando uma situação muito triste no litoral”, relata.

Além de Paranaguá, Ferreira afirma que os peixes mortos estão começando a aparecer em outras cidades do litoral. “O peixe morto está indo para Antonina, Guaraqueçaba e Pontal do Paraná. Precisamos de uma solução urgente para isso”, alerta.

O capitão Edson Oliveira Ávila, coordenador regional da Defesa Civil do Paraná na região, acredita que existem três hipóteses para a morte dos peixes. “Vamos aguardar para saber o que aconteceu, mas as especulações apontam que os peixes podem ter morrido devido um desequilíbrio ambiental, descarte de um barco de pesca ou vazamento de produtos químicos”, diz.

Por meio de sua assessoria de imprensa, a prefeitura de Paranaguá informou que a venda de frutos do mar está, por precaução, temporariamente suspensa na região.

“Não está proibido, mas orientamos que as pessoas não comprem ou consumam esses produtos para evitar qualquer problema. Não existe nenhum indício de que alguém tenha passado mal”, disse Ávila.

O assunto foi discutido ontem, em uma reunião envolvendo a prefeitura de Paranaguá, IAP, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama) e Defesa Civil do Paraná.

Questionado, o IAP afirmou que só irá se pronunciar hoje, após ter o resultado do laudo. As amostras foram encaminhadas para o Centro de Estudos do Mar (CEM), da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Renda

Toda a situação preocupa a comunidade de pescadores do litoral paranaense. “Peço para que as autoridades olhem para esses trabalhadores do mar. Não apenas em Paranaguá, mas em todo o nosso Estado. Quando acontece um desastre desse tipo quem sofre é o pescador. Não podemos deixar isso acontecer”, desabafa Ferreira.
Fonte:ParanaOline

sábado, 1 de janeiro de 2011

BETO RICHA ASSUME O GOVERNO DO PARANÁ





Beto Richa (PSDB) tomou posse como governador do Paraná em uma cerimônia realizada na Assembléia Legislativa do Paraná na manhã deste sábado (1). O governador e seu vice, Flávio Arns (PSDB), prestaram o compromisso constitucional — “Prometo cumprir e fazer cumprir a Constituição da República e a do Estado, observar as leis e promover o bem-estar geral do povo paranaense”. Logo depois, eles assinaram os termos de posse no mandato de quatro anos.


No primeiro discurso oficial de Richa como governador, ainda no plenário da Assembleia, ele enfatizou a construção de um novo Paraná, com uma sociedade mais justa e igualitária.


Cerca de 500 pessoas assistiram a cerimônia de posse do lado de fora da assembleia por um telão. Já no plenário da assembleia, cerca de 300 pessoas acompanharam a cerimônia, de acordo com a assessoria de imprensa do governador.


Uma faixa, que foi colocada do lado externo da casa, traz uma mensagem de incentivo para o novo governador do Paraná: “Beto Richa presidente do Brasil”, diz a faixa.


Transmissão de cargo


Na sequência, o governador desceu a rampa e passou em revista a tropa da Polícia Militar – três pelotões, a banda e a Guarda da Bandeira do Estado. O ato marcou o início da segunda fase da cerimônia de posse. No recém-reformado Palácio Iguaçu, Richa, ao lado da família, subiu pela primeira vez como governador ao gabinete que já foi ocupado por seu pai.


Em seguida, Pessuti fez um discurso de transferência de cargo, e se despediu da função.


Às 12:45, o governador Beto Richa começou suas primeiras ações oficiais no mandato dando a posse aos novos secretários de Estado, começando pelo chefe da Casa Civil, Durval Amaral, e por Flávio Arns, que será secretário da Educação.


Discurso


Às 13 horas, está previsto o início do primeiro discurso do governador Beto Richa ao povo do Paraná na Praça Nossa Senhora de Salete, no Centro Cívico. A expectativa da assessoria de imprensa do governador é de que pelo menos 5 mil pessoas prestigiem as duas partes da solenidade.
Com o fim do pronunciamento, o governador deve descer do palco e receber os cumprimentos da população. Depois, Richa deve conceder uma entrevista coletiva de imprensa.




Encerramento


Terminada a cerimônia, Richa irá caminhando para inaugurar o novo heliponto que fica nos fundos do Palácio Iguaçu. Um helicóptero da Casa Militar estará à espera do governador para levá-lo até o aeroporto Afonso Pena. Richa embarcou para Brasilia, às 14h30, para participar da posse da nova Presidenta Dilma Russeft.