Pesquisar neste blog

ANTES DE SAIR DESTE BLOG CLIC NUMA DE NOSSAS PUBLICIDADES

ACONTECENDO VOCÊ FICA SABENDO, AQUI:

terça-feira, 21 de setembro de 2010

MAIS UMA DO PORTO, NO ANO DOS MILAGRES

Canduca no momento da assinatura da Ordem de Serviço

A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) determinou ações complementares sobre o desembarque de fertilizantes. A ordem de serviço 148/2010, assinada pelo superintendente Mario Lobo Filho, prevê que navios carregados com este tipo de produto tenham atracação preferencial para iniciar a movimentação em Paranaguá e, assim que atingirem as condições operacionais de calado necessárias, completem a descarga do produto em Antonina.

O objetivo é dar agilidade às operações e diminuir o tempo de espera das embarcações, oferecendo alternativa que diminua os custos das empresas armadoras, donas dos navios, e dos importadores de fertilizante. Com isso, os usuários podem escolher entre esperar a vez em Paranaguá – para usar um dos dois berços que regularmente são exclusivos para a carga – ou usar um terceiro berço, em que teriam preferência de atracação, e apenas iniciar a movimentação no Porto de Paranaguá, concluindo a operação em Antonina.

Segundo Lobo Filho, a medida terá validade até a realização das obras de dragagem, previstas para acontecerem até o fim do ano. “Daremos início à dragagem de manutenção do canal de acesso ao terminal da Ponta do Félix, em Antonina, assim que obtivermos a licença ambiental. Será estabelecida profundidade de 9,5 metros e, com isso, não será necessária a descarga inicial em Paranaguá”, explica o superintendente. Hoje, a profundidade no canal é de 7 metros e não permite a operação de navios cujo calado supere essa medida, como acontece quando estão com carga completa.

VANTAGENS - A expectativa da Appa é que a mudança diminua em até 40% o período que as embarcações aguardam na baía de Paranaguá (atualmente até 12 dias) e atraia os navios que estão na fila para atracação no porto de Santos. A economia com os gastos para manter uma única embarcação no mar, enquanto espera, pode chegar a US$ 40 mil por dia, dependendo do tipo e tamanho do navio.

“A alteração na rota, que é muito pequena, já que os dois terminais estão muito próximos, será vantajosa, porque os usuários serão beneficiados com a redução do tempo de espera sem perder as vantagens logísticas que os portos públicos do Paraná oferecem”, destaca o diretor do Porto de Antonina, Paulo Moacyr Rocha Filho. “Antonina está a 40 quilômetros de Paranaguá, via rodovia, o que garante que as cargas sejam transportadas com facilidade para o interior ou para os armazéns de Paranaguá”, completa.

O Terminal Portuário da Ponta do Félix, empresa privada que tem concessão para realizar movimentações em Antonina, prevê receber até 10 navios de fertilizantes por mês e se prepara para o aumento nas operações. “Neste mês, receberemos um novo guindaste e uma série de equipamentos necessários para embarque e desembarque de graneis sólidos. Temos armazéns e toda estrutura de retaguarda pronta para atender à demanda”, adianta o diretor-presidente, Luiz Henrique Tessuti Dividino.

EMPREGOS – A determinação deve promover aumento nas contratações de trabalhadores portuários e movimentar a economia de Antonina. De acordo com o prefeito Carlos Augusto Marchado, sindicatos ligados às atividades já se organizam e os comerciantes locais estão animados com as possibilidades de aumento nas vendas. “Estimamos incremento de mais de R$ 1 milhão por mês, que devem dar fôlego novo ao comércio e ao setor de serviços”, conta.

“É um ciclo virtuoso de emprego e renda. Um único navio de fertilizantes gera centenas de empregos na descarga, no transporte e na armazenagem dos produtos. Esses trabalhadores comem nos nossos restaurantes, abastecem os caminhões nos nossos postos, compram nas nossas lojas. O dinheiro circula e mais pessoas são contratadas para atender nos restaurantes, postos e lojas, por exemplo”, detalha o prefeito.

O departamento jurídico da Appa já analisa a possibilidade do pagamento do ISS (Imposto sobre Serviços) à prefeitura de Antonina, como é realizado em Paranaguá por determinação do governador Orlando Pessuti. A intenção é repassar parte da arrecadação tarifária do porto para o município.

Fonte: aen
..................................................................................................................................................................

6 comentários:

GILSON disse...

sera que este dinheiro de iss,parte dele sera pago aos funcionarios municipais,referente ao plano de cargos e salarios(aquela estoria de subir um nivel a cada dois anos,pra mim tão devendo quatro niveis,todo quadro funcional agradeceria)

GILSON disse...

A defasagem salarial da prefeitura,tendo como base,o piso minimo de cada categoria,esta arrochando o trabalhador municipal!
Dia desses um cidadão perguntou-me qual era o meu salario na prefeitura,eu respondi que era de R$749,00,o cara riu de mim e tambem de todos os outros assalariadinhos da prefeitura(esse foi o termo usado pelo cara "assalariadinho"!

GILSON disse...

Rosil os professores receberam os niveis atrasados,é isso que vc publicou?

GILSON disse...

Ainda bem que dois anos hão de passar!

ROSIL DO PILAR disse...

Grande Gilson, mais uma vez obrigado por sua visita. Esta postagem fala sobre o Porto. Mas tudo bem. Respodendo sobre os Professores, a resposta é não. A progressão ali tratada é sobre a qualificação dos professores, conforme a Lei Municipal nº 045, de 15/12/2008, ainda do tempo do Kleber, e Regulamentada pelo Decreto Municipal nº 105, de 07/04/2009, já na atual administração. Esta lei, incentivou os professores a concluírem o Curso de Pedagogia e se especializarem, numa pós graduação, ou seja,quanto mais qualificados, mais ganham. Isso, ainda não está regulamentado para os demais servidores, o que é uma pena. Certo Gilson? Abraço a todos.

Anônimo disse...

Rosil

A vagabundagem especializada em querer enganar o proximo esta em plena atividade