Pesquisar neste blog

ANTES DE SAIR DESTE BLOG CLIC NUMA DE NOSSAS PUBLICIDADES

ACONTECENDO VOCÊ FICA SABENDO, AQUI:

domingo, 29 de setembro de 2013

APAE DE ANTONINA RECEBE 200 MIL DA TERMINAIS PORTUÁRIOS DA PONTA DO FÉLIX. CONFIRA...





Empresa-que-opera-no-Porto-de-Antonina-repassa-R-200-mil-a-ApaeEmpresa-que-opera-no-Porto-de-Antonina-repassa-R-200-mil-a-ApaeEmpresa-que-opera-no-Porto-de-Antonina-repassa-R-200-mil-a-ApaeEmpresa-que-opera-no-Porto-de-Antonina-repassa-R-200-mil-a-ApaeEmpresa-que-opera-no-Porto-de-Antonina-repassa-R-200-mil-a-Apae
*  Prefeito João Ubirajara Lopes, Oscarzinho Buck, presidente da Apae, Diretor do Porto   e demais autoridades locais, recebem a primeira dama do Estado,  Fernanda Richa, nas dependências da APAE de Antonina, onde seus alunos fazem apresentações artísticas de boas vindas e agradecimentos pelos 200 mil reais recebidos e serem aplicados em melhorias da escola especial.


No último dia 26/09, a secretária de Estado da Família e do Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, e a diretoria da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) intermediaram o repasse da empresa que opera no Porto de Antonina à Apae do município. A verba, de R$ 200 mil, é a maior já repassada pela iniciativa privada a uma entidade social antoninense. 


O recurso repassado pela Terminais Portuários da Ponta do Félix será aplicado nas obras da nova unidade da Escola Joana de Camargo. A Secretaria de Estado da Família e do Desenvolvimento Social apoia a iniciativa e incentiva as empresas a investirem na região onde atuam.

“Fico muito feliz de poder participar dessa ocasião, uma vez que a Apae é uma das entidades adotadas pela Secretaria de Estado da Família e do Desenvolvimento Social, pela qual o Governo do Estado tem muito carinho e atenção. Espero que novos repasses sejam feitos em breve para que venham beneficiar outras entidades sociais do município”, incentiva a Secretária Fernanda Richa.

Para o superintendente da Appa, Luiz Henrique Dividino, a iniciativa da empresa operadora do Porto de Antonina contempla os planos do Governo do Estado de desenvolver o município. “Resgatar a autoestima e o desenvolvimento do Porto e da cidade de Antonina é um compromisso que o governador Beto Richa assumiu, e vem colocando em prática, com inúmeras ações desde o início da gestão. Por isso, incentivamos e apoiamos iniciativas como essa, de empresas parceiras que também trabalham em prol de um futuro ainda mais promissor para o município”, disse Dividino.

Segundo o diretor do Porto de Antonina, Luis Carlos Souza, a empresa que é arrendadária da Appa - está exercendo sua responsabilidade social. “A Appa faz questão de intermediar esse repasse porque é nossa responsabilidade, assim como do Estado, fomentar esse tipo de atenção à realidade e às carências locais”, afirma.

Para a diretoria do centro educacional, além de outras melhorias, os recursos serão revertidos em mais acessibilidade e ofertas de vagas para Antonina e região. Atualmente, 92 alunos frequentam a instituição, no município, onde são ofetadas aulas e atendimento multidisciplinar.

“Estávamos contando com esse repasse para acelerar as obras. Com uma unidade maior e mais completa, vamos oferecer ainda mais qualidade, acessibilidade, conforto e segurança para nossos alunos. Sem contar que um ambiente melhor traz grandes benefícios pedagógicos”, diz a diretora Sueli Nascimento. Segundo ela, a previsão é que já em 2014 a unidade iniciará o atendimento.

OUTROS REPASSES - De acordo com o diretor comercial da Ponta do Félix, Cícero Simião, a Apae é a primeira de uma série de entidades locais nas quais a operadora do Porto de Antonina pretende investir. Além de escolas, unidades de saúde também serão beneficiadas. Serão R$ 750 mil em projetos sociais de Antonina e região.

“Esta é somente uma ação que será somada a outras ações que pretendemos desenvolver junto à comunidade. Tanto este repasse para a Apae quanto os futuros são a nossa contrapartida pelo aumento que temos tido na nossa produtividade. Os nossos bons resultados só nos fazem investir mais e aumentar o nosso compromisso social com Antonina”, conclui.

A aplicação da verba repassada será fiscalizada pelo Estado, pela empresa e pelo Ministério Público. 

3 comentários:

Fortunato disse...

Rosil, solicito ao meu conhecido blogueiro que: sei que a APAE de São José dos Pinhais têm um convênio com a COPEL onde a comunidade contribui com recursos financeiros para a entidade - tive um gerente do BB que faz parte da APAE de S.J. dos Pinhais , hoje eles esta aposentado - vc como blogueiro e jornalista poderia levantar juntos aos entes como poderíamos operacionalizar esse convênio e de antemão já ver como pôr nesse mesmo pacote a Filarmônica Antoninense - claro com um convênio separado -, pois eu quero que seja debitado na minha fatura de energia elétrica da minha residência em Antonina recursos financeiros para ajudar essas duas entidades que tanto fazem por Antonina.

Obrigado.

Anônimo disse...

MP exige que municípios entreguem Plano de Saneamento Básico no PR
Plano deve ser entregue pela prefeituras de Uniflor e Nova Esperança.
Com a decisão, municípios devem construir 100% da rede de esgoto.
Luciane Cordeiro
Do G1 PR, em Paranavaí


Cerca de 50% do imóveis de Nova Esperança, na região noroeste do Paraná, estão ligados na rede de esgoto (Foto: Divulgação)
Cerca de 50% do imóveis de Nova Esperança, na região
noroeste do Paraná, estão ligados na rede de esgoto
(Foto: Divulgação)
As prefeituras de Nova Esperança e Uniflor, na região noroeste do Paraná, têm até o dia 31 dezembro de 2013 para elaborar e protocolar os respectivos Planos de Saneamento Básico Municipal. A determinação foi divulgada na sexta-feira (16) depois que o Ministério Público do Paraná e as prefeituras assinaram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com a intenção de construir redes de esgoto que atendam 100% das moradias. De acordo com a TAC, as cidades terão dois anos para se adequar e entregar a rede completa.
A cidade de Uniflor possui 800 residências e nenhuma delas tem ligação com o esgoto. Segundo a assistente administrativa da Secretaria do Meio Ambiente de Uniflor Lydia Maria Ferrari, uma das responsáveis pela aplicação do plano, o município enviou um projeto para a implantação da rede de esgoto para a Fundação Nacional de Saúde (Funasa), em Curitiba, mas como o Plano de Saneamento Básico não estava pronto a construção da rede ainda não foi autorizada. “O Plano de Saneamento foi inserido no Plano Diretor ainda em 2010, mas não tivemos recursos para executá-lo”, explica a assistente.
saiba mais
Volume de lixo em esgoto cresce 139% em Londrina, segundo Sanepar
Conforme a Secretaria do Meio Ambiente de Uniflor muitas casas já não possuem mais espaço para a construção de novas foças e por isso a elaboração do plano é uma das ações primordiais da prefeitura para os próximos dois anos.
A Secretaria do Meio Ambiente de Nova Esperança disse ao G1 que mais da metade dos imóveis na cidade - cerca de 4.500 - já estão ligados a rede de esgoto. De acordo com o secretário Dorival Borejo, a prefeitura vai fazer uma reunião com a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) para terminar as obras que faltam. "Vamos marcar uma reunião com a Sanepar nos próximos dias para resolvermos esse problema o mais rápido possível", afirmou o secretario.
O Termo de Ajustamento de Conduta prevê que os municípios viabilizem orçamento para as obras de coleta e ligação de esgoto, transporte e uma estação de tratamento. O texto afirma também que os municípios só poderão liberar novos loteamentos ou criar novos bairros depois da elaboração e execução de todo o projeto de saneamento. Dentro dessa decisão, as prefeituras serão responsáveis pelos recursos utilizados para a construção da rede e deverão apresentar, até o abril de 2014, os contratos de contratação das empresas que serão responsáveis pelo serviço.
Penalidade
Ainda conforme a TAC, caso as prefeituras não respeitem os prazos, o órgão aplicará multa de R$ 1.000 por dia de atraso. Além disso, o MP pode multar em R$ 50.000 por dia se novos loteamentos ou bairros forem inaugurados sem a instalação de rede de esgoto.
A prefeitura também pode ser multada em R$ 1.000 por dia caso os contratos de prestação de serviço entre os municípios e as empresas contratadas para a realização das obras não forem enviados para o MP até abril de 2014.

ROSIL DO PILAR disse...

Grande Fortunato. Obrigado pela visita.
Como vice-Presidente da APAE de Antonina, com certeza irei ver como tal convênio será possível com Antonina. Ok. Aguarde e obrigado pela sugestão.